O Jogo ao Vivo

Sondagem

Medina é o mais influente, competente, solidário e honesto

Medina é o mais influente, competente, solidário e honesto

Autarca socialista tem vantagem sobre o rival Carlos Moedas em todos os atributos. João Ferreira destaca-se entre os restantes candidatos.

Fernando Medina é o candidato mais influente (63%), mais competente (40%), mais solidário e próximo das pessoas (24%) e mais honesto (15%) e, portanto, é também o melhor colocado (39%) quando se pergunta aos lisboetas quem daria um melhor presidente da Câmara de Lisboa, de acordo com a sondagem da Aximage para o JN, DN e TSF.

O atributo pessoal em que é maior a diferença entre o autarca socialista e o aspirante do centro-direita é o da influência (53 pontos). Uma diferença reconhecida até pelos que pretendem votar em Carlos Moedas (63%), apesar da sua passagem pela Comissão Europeia e pelo Governo de Passos Coelho.

COMPETÊNCIA É MAIS VALORIZADA

A diferença no que diz respeito à competência é bastante mais pequena (18 pontos), mas é mais importante. Quando se pergunta aos lisboetas qual é o atributo mais importante, 77% aponta à necessidade de ser competente. Medina fica com 40%, Moedas com 22%, e nesta matéria tem o apoio dos seus (90%). Mas há mais indecisos (31%) a pender para o socialista.

Os valores mais baixos para ambos registam-se da solidariedade e proximidade às pessoas, muito por causa da grande percentagem de inquiridos que não é capaz de dar uma opinião (47%). Mesmo assim, o atual presidente tem 16 pontos de vantagem sobre o principal rival, que fica aliás atrás do comunista João Ferreira neste atributo.

O PROBLEMA COM A HONESTIDADE

PUB

Há no entanto um quarto atributo, a honestidade, em que os resultados gerais são particularmente maus. Quase dois terços dos lisboetas (62%) resiste a associar a honestidade a qualquer dos candidatos (aconteceu o mesmo entre os portuenses, embora de forma menos aguda, com 56% a recusar dar a sua opinião), no que pode constituir um sinal preocupante para a credibilidade da classe política.

Mesmo assim, é Fernando Medina que consegue reunir mais adeptos (15%), com apenas cinco pontos de diferença para o rival Carlos Moedas (10%) e nove sobre João Ferreira (6%).

Mobilidade e turismo

A medida ou política que os lisboetas mais associam a Medina é a "mobilidade" (25%), sobretudo quem vivem em Santa Clara/Lumiar (36%) e entre os que têm 50 a 64 anos (35%). O "turismo" é a segunda política mais referida (20%), com os habitantes de S. Domingos de Benfica/Campolide em destaque (29%), bem como os habitantes mais jovens, dos 18 aos 34 anos (50%).

Desconhecimento

Carlos Moedas ficaria sempre a perder na comparação com Medina, uma vez que não tem cargos na autarquia. Mas, tendo em conta a longa campanha que já leva, não deixa de surpreender que haja 65% de lisboetas que não são capazes de adiantar qualquer medida. Entre os que conseguem, destaca-se afinal um atributo (as respostas eram espôntaneas), o de ser "bom político/competente" (9%) e uma ideia muito genérica sobre revitalizar/melhorar Lisboa (5%).

19%

A "localização" é a característica que os lisboetas mais apreciam no seu concelho, em particular os que residem nas freguesias de Santa Maria Maior/Misericórdia/Santo António/S. Vicente (39%), os que têm 35 a 49 anos (37%) e os da classe média (35%).

27%

O "trânsito" é a característica da cidade que mais irrita os lisboetas, em particular os que vivem em Santa Clara/Lumiar (35%), os que têm 35 a 49 anos (35%) e os que estão no topo da escala social (31%).

31%

Feitas as contas às contrariedades pessoais e da comunidade a "habitação acessível" é o principal problema de Lisboa. Em particular para os que vivem na Estrela/Campo de Ourique, os homens (36%), os mais jovens (46%) e os que estão no escalão social mais alto (41%).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG