CDS-PP

Melo acusa "Chicão" de querer "evitar o voto dos militantes"

Melo acusa "Chicão" de querer "evitar o voto dos militantes"

O candidato à liderança do CDS-PP, Nuno Melo, atacou, esta quinta-feira, o presidente do partido, Francisco Rodrigues dos Santos, por admitir adiar o congresso marcado para 27 e 28 de novembro. Melo acusa o líder de tentar "evitar o voto dos militantes".

Para Nuno Melo, o facto de Francisco Rodrigues dos Santos admitir adiar o congresso do partido, agendado para 27 e 28 de novembro, é um sinal de que tem "medo de perder" e, procura, assim, "evitar o voto dos militantes".

"Quem queira evitar o voto dos militantes, num congresso que por vontade própria pediu, com medo afinal de o perder, depois da soberba de quem esmagaria outras alternativas, não terá qualquer legitimidade, nem respeito por si próprio, representando CDS em legislativas perante o país", acusou o eurodeputado, numa publicação na rede social Facebook..

Por outro lado, segundo Nuno Melo, "quem queira apresentar-se nas urnas no final de janeiro ou início de fevereiro,, num momento em que já terminou o mandato, perdeu qualquer noção do sentido da democracia que o CDS ajudou a fundar em Portugal".

O eurodeputado também revelou, esta quinta-feira, que conta com a colaboração do secretário-geral da CAP (Confederação dos Agricultores de Portugal), Luís Mira, para a preparação do seu programa eleitoral. "É uma honra e um exemplo do que quero para o partido no próximo ciclo", considera Nuno Melo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG