Homenagem

Memorial às Vítimas dos Incêndios de Pedrógão Grande concluído em junho de 2022

Memorial às Vítimas dos Incêndios de Pedrógão Grande concluído em junho de 2022

O Memorial às Vítimas dos Incêndios de Pedrógão Grande, uma intervenção de 1,8 milhões de euros, deverá estar concluído em junho de 2022, quando passam cinco anos sobre os fogos naquele concelho do distrito de Leiria, que fizeram 66 mortos.

Segundo fonte da Infraestruturas de Portugal (IP), a obra foi consignada em 13 de setembro, pelo valor de 1794761,91 euros, e tem um prazo de execução de 300 dias, estando prevista a conclusão até ao dia 10 de junho de 2022.

O anúncio da empreitada, a executar através do orçamento da empresa, foi publicado em Diário da República em 10 de fevereiro.

A obra prevê "a construção do memorial, os acessos rodoviários, que inclui uma zona de inversão de marcha para circulação proveniente de sul e renovação da paisagem marginal da EN [estrada nacional] 236-1", afirmou na ocasião fonte oficial da IP, em resposta a perguntas da agência Lusa. Ao longo de cerca de dois quilómetros daquela estrada nacional, onde morreram muitas das vítimas dos incêndios de Pedrógão Grande, vão ser ainda "plantadas um conjunto de diferentes espécies arbóreas autóctones", acrescentou.

A maioria do investimento (cerca de 1,4 milhões de euros) será aplicado na construção do memorial, referiu ainda.

Em 2019, numa sessão que se realizou no município de Castanheira de Pera, foi assinado um protocolo entre a Associação de Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande e a Infraestruturas de Portugal para a construção do memorial. O projeto é da autoria do arquiteto Eduardo Souto Moura e será constituído por uma balsa de água ligada a uma fonte, simbolizando a vida e o nascimento.

"A água como purificação é um elemento transversal em todas as culturas e religiões", afirmou na altura o arquiteto, salientando que a balsa de água desenhada tem a "dupla função de evocar o renascimento, que se pensa que vai acontecer e, se houver outro incêndio, os bombeiros têm onde ir buscar água".

PUB

Os incêndios que deflagraram em junho de 2017 em Pedrógão Grande e que alastraram a concelhos vizinhos provocaram a morte de 66 pessoas, além de ferimentos a 253 populares, sete dos quais graves. Os fogos destruíram cerca de meio milhar de casas e 50 empresas.

Mais de dois terços das vítimas mortais (47 pessoas) seguiam em viaturas e ficaram cercadas pelas chamas na Estrada Nacional 236-1, entre Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, no interior norte do distrito de Leiria, ou em acessos àquela via.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG