Diplomacia

Merkel vai estar em Portugal a 13 de outubro para anunciar vencedor do Prémio Gulbenkian

Merkel vai estar em Portugal a 13 de outubro para anunciar vencedor do Prémio Gulbenkian

A antiga chanceler alemã, Angela Merkel, vai estar em Portugal no próximo dia 13 de outubro para a cerimónia de atribuição do Prémio Gulbenkian para a Humanidade, depois de em junho ter sido anunciado que seria presidente do júri. Este é o primeiro cargo que Merkel desempenha depois da sua saída do governo alemão da União Democrata-Cristã, em 2021.

Depois do anúncio, em junho, de que Angela Merkel seria a nova presidente do júri do Prémio Gulbenkian para a Humanidade, a Fundação Calouste Gulbenkian (FCT) divulga agora que a antiga chanceler alemã estará presente na cerimónia de entrega do prémio no dia 13 de outubro. Este é o primeiro cargo que desempenha desde que cessou funções no governo alemão em 2021.

A antiga chanceler alemã, de 68 anos, sucede no cargo a Jorge Sampaio. O antigo Presidente da República, que faleceu em setembro de 2021, presidiu ao júri do Prémio Gulbenkian para a humanidade desde a sua criação em 2020. Nesse ano, a vencedora foi Greta Thunberg que escolheu distribuir o valor recebido por vários projetos ambientalistas e humanitários, todos localizados no hemisfério sul.

PUB

O prémio, atribuído pela Fundação Calouste Gulbenkian destina-se a "distinguir pessoas, grupos e organizações de todo o mundo que se têm evidenciado na mitigação e adaptação às alterações climáticas". Assim, esta distinção visa destacar ações que possam contribuir para reduzir ou remover emissões de gases de efeito de estufa e as ações para aumentar a resiliência das pessoas e do ambiente aos impactos das alterações climáticas

Para além disso procura promover a mobilização de recursos financeiros, públicos ou privados, para acelerar a descarbonização da economia.

Vencedor de 2021 com participantes portugueses

Os candidatos a vencer o prémio são sugeridos por outras pessoas ou organizações e podem ser pessoas singulares, como no caso da Greta Thunberg, ou associações e organizações que trabalham na área de defesa e restauração climática.

O Pacto de Autarcas para o Clima e Energia foi o vencedor da edição do ano passado em 2021. Este compromisso é a maior aliança mundial entre cidades e governos locais destinada à implementação de medidas de proteção climática. Atualmente conta com mais de 10 600 cidades e governos locais de 140 países, dos quais 181 cidades portuguesas fazem parte.

O montante recebido foi canalizado para transição energética e a resiliência climática em África, tendo sido financiados projetos de grande dimensão em cinco cidades no Senegal (fornecimento de água potável) e numa cidade nos Camarões (desenvolvimento de soluções de eficiência energética).

A conferência de imprensa que anunciará o vencedor está agendada para dia 13 de outubro às 11h30, na FCT, e a cerimónia de entrega do prémio acontecerá às 18h00 do mesmo dia, também na fundação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG