Diretas

Militantes do PSD votaram sem sair de casa

Militantes do PSD votaram sem sair de casa

Em Freixo de Espada à Cinta (Bragança) foram contabilizados votos de militantes do PSD que garantem não terem saído de casa no dia da primeira volta das diretas.

Há militantes do PSD em Freixo de Espada à Cinta (Bragança) que garantem não terem ido votar na primeira volta das eleições diretas, que decorreu no sábado passado, e revelam que terão dito ao mandatário local de Rui Rio para "fazer o risquinho onde quisesse".

Em Freixo de Espada à Cinta foram contabilizados 25 votos entre 26 militantes com as quotas em dia. Mas há, pelo menos, dois que confessaram ao jornal Observador que nem saíram de casa no dia das diretas. Um deles, Júlio Alves, diz que deu instruções a outro militante para colocar "o risquinho onde quisesse". Esse militante é o mandatário local de Rui Rio. "Tenho andado doente, então dei ordem a Ricardo (Madeira) para pôr o risquinho onde ele quisesse", contou, ao Observador. Outra militante, Laura Redondo, conta a mesma história.

O presidente da secção do PSD de Freixo de Espada à Cinta, Ivo Quintas Palmeirão, alega desconhecer. "Não faço ideia. Eu fui votar normalmente. Nem estive na mesa, sequer", reagiu. Já Ricardo Madeira, tesoureiro do PSD/Freixo de Espada à Cinta, mandatário de Rui Rio que terá carregado os votos, garante que as pessoas votaram presencialmente. "Eu apenas fiz campanha por Rui Rio", diz Ricardo Herdeira, reafirmando que foram 25 os votos atribuídos ao atual líder do PSD. "Foram essas as pessoas que lá foram votar", afirma.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG