Covid-19

Militares vão dar vacinas em Lisboa

Militares vão dar vacinas em Lisboa

A necessidade de equilibrar as taxas de vacinação na região de Lisboa e Vale do Tejo, principalmente na capital, devido à densidade populacional e ao aumento de casos de covid-19, vão levar a um aumento no número de inoculações dadas que serão administradas por militares. Se for preciso, o modelo será replicado no Porto

Em declarações à SIC Notícias, o comentador Luís Marques Mendes avançou que o objetivo é aumentar em 12 mil por semana o número de vacinas dadas em Lisboa.

Estas serão administradas na estrutura que vai ser montada no Estádio Universitário de Lisboa que será operacionalizada por profissionais de saúde das Forças Armadas.

Marques Mendes explicou que a medida se deve à necessidade de equilibrar a taxa de vacinação com as restantes regiões do país, uma vez que a capital e os concelhos limítrofes têm grande densidade populacional. Se for necessário, a medida será também adotada no Porto.

Marques Mendes adiantou também que será já na próxima quinta-feira que o Conselho de Ministros vai aprovar um decreto-lei para permitir que o certificado digital covid possa substituir os testes aos SARS-CoV-2 em algumas situações com aglomerados de pessoas em que a testagem é obrigatória, como casamentos, espetáculos e competições desportivas.

Esta hipótese já tinha sido avançada pela ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, na última quinta-feira. Mas a governante não avançou datas na altura.

PUB

Quanto à vacinação, o comentador lembrou que amanhã (segunda-feira) será aberto o autoagendamento a maiores de 35 anos. E que só em meados de julho é que os maiores de 20 poderão começar a marcar a inoculação.

Será também lançada uma campanha para sensibilizar os mais novos para a vacinação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG