Nacional

Ministro da Administração Interna garante que "não há razão para alarme"

Ministro da Administração Interna garante que "não há razão para alarme"

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, garantiu, esta segunda-feira, que Portugal "fez aquilo que está previsto fazer" em termos de dispositivo de segurança depois dos atentados que ocorreram na Noruega.

Miguel Macedo, que falava aos jornalistas à margem de uma visita ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), não especificou, contudo, o que, concretamente, foi accionado por Portugal, em termos de segurança, depois do duplo atentado na Noruega que matou 93 pessoas.

Miguel Macedo afirmou que "não há razão para alarme", considerando que não há um motivo especial "para que as pessoas fiquem anormalmente preocupadas com aquilo que se passou", mesmo depois de ser do conhecimento público de que Portugal poderia ser um dos próximos alvos do norueguês Anders Breivik Behring.

"Temos que estar sempre preocupados com as questões de segurança, mas o que aconteceu foi uma situação anormal, inexplicável e imprevisível que nem sempre é possível prevenir", acrescentou.

O tutelar da pasta da Administração Interna assegurou que "Portugal fez tudo aquilo que está previsto fazer numa situação destas, quando existe uma alteração da paz e tranquilidade pública", sem, no entanto, especificar quais as medidas tomadas.

Anders Behring Breivik, 32 anos, foi detido pela polícia na sexta-feira, acusado da morte de 93 pessoas devido à explosão de uma bomba na capital e de um tiroteio num acampamento de jovens.