Saúde

Ministro diz que caso de legionela está "controlado e mitigado"

Ministro diz que caso de legionela está "controlado e mitigado"

O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, disse esta segunda-feira que o caso de "doença dos legionários" detetado numa fábrica na Maia, Porto, está "controlado e mitigado", e indicou que estão a ser tomadas "medidas cautelares".

"As medidas cautelares estão a ser tomadas. Penso que é um caso relativamente controlado e mitigado e, portanto, aguardaremos as informações que a Direção-Geral de Saúde e o Ministério do Ambiente irão divulgar nos próximos dias", afirmou o governante.

Falando aos jornalistas à margem da cerimónia de apresentação dos novos centros de saúde para Lisboa, no Pavilhão do Conhecimento, admitiu, contudo, não ter "mais nenhuma informação do que aquela que foi publicitada ontem (segunda-feira(".

"Fui informado pelo senhor diretor-geral de Saúde ontem (segunda-feira) e, naturalmente, que ele, enquanto autoridade nacional de saúde, age como é de protocolo nestas situações", vincou.

Na segunda-feira, o diretor-geral de saúde, Francisco George disse à Lusa que "o Instituto Ricardo Jorge identificou a relação causa-efeito entre as secreções pulmonares de um doente com pneumonia provocadas por uma bactéria que é a mesma detetada na água da torre de arrefecimento da respetiva empresa fabril".

De acordo com Francisco George, o caso foi sinalizado na última semana de fevereiro.

"Todas as medidas foram tomadas para controlar o problema e prevenir novas ocorrências. Prosseguem os estudos em mais sete casos que foram diagnosticados nas últimas semanas", afirmou Francisco George que não quis, para já, adiantar qual a fábrica afetada pelos casos de legionela, nem se a unidade foi encerrada.

A doença, provocada pela bactéria "legionella pneumophila", contrai-se por inalação de gotículas de vapor de água contaminada (aerossóis) de dimensões tão pequenas que transportam a bactéria para os pulmões, depositando-a nos alvéolos pulmonares.