Educação

Ministro quer cursos para professores "mais atrativos"

Ministro quer cursos para professores "mais atrativos"

As licenciaturas em ensino vão ser revistas. O ministro da Educação revelou esta sexta-feira, no Parlamento, estar a trabalhar com "politécnicos e universidades para aumentar a atratividade" dos cursos.

No discurso inicial na comissão conjunta de Orçamento, Finanças e Educação, no âmbito do debate na especialidade do Orçamento do Estado, Tiago Brandão Rodrigues anunciou um "plano de valorização e rejuvenescimento da carreira docente, diagnosticando mais afinada e atempadamente as necessidades de docentes e melhorando ainda mais a sua formação inicial e contínua".

Referindo-se ao envelhecimento e à falta de professores, Joana Mortágua alertou, depois, o ministro que "tem uma bomba nas mãos e que agora está à rasca" - só por, isso, defendeu a deputada do BE, o Ministério enviou às escolas orientações sobre as substituições de professores e o Governo anuncia que vai fazer um "diagnóstico" das necessidades: "perdeu quatro anos para o fazer". "Faltam professores" e a prova é que "teve de arranjar uma solução de recurso: professores de línguas estrangeiras a dar Português e todos a dar Informática", argumentou.

Na resposta, Tiago Brandão Rodrigues revelou estar a trabalhar em parceria com o Ensino Superior, com politécnicos e universidades para "aumentar a atratividade das licenciaturas em educação", que têm vindo a perder alunos nos últimos anos. Sobre esta revisão, assim como sobre o plano de rejuvenescimento, ainda mais não disse.

BE, PCP e PSD também confrontaram o ministro com a intenção dos professores com mais de 60 anos deixarem de dar aulas, mas o ministro também ainda não deu qualquer resposta sobre esse tema.

Reforço da rede de Internet

O ministro também prometeu reforçar a rede de Internet e melhorar os equipamentos das escolas para cumprir a transição para o digital.

"A maioria das escolas estão cheias de tralha informática. É com esse material obsoleto que quer fazer a transição para o digital?", questionou António Cunha, do PSD. Tiago Brandão Rodrigues retorquiu que "vale a pena encher as salas de computadores para se ter a tecnologia como uma ferramenta" no ensino.

Joana Mortágua perguntou se o Governo pretende garantir o alargamento das competências digitais pondo todos os professores a dar Informática. O ministro garantiu que não mudou as regras de substituição dos professores.

Ana Rita Bessa, do CDS, questionou qual será a dotação do programa de modernização tecnológica mas essa questão ainda está sem resposta.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG