Congresso

Morais Sarmento quer o PSD entrincheirado ao centro contra a Esquerda

Morais Sarmento quer o PSD entrincheirado ao centro contra a Esquerda

Nuno Morais Sarmento apontou o Centro como a área política natural do PSD. Para o vice-presidente do partido, "abandonar essa trincheira era oferecer o centro ao PS", avisou.

Além de ter arrancado o primeiro aplauso de pé desde que o congresso em Viana do Castelo começou, ao elogiar o trabalho da organização da reunião magna a cargo de várias social-democratas, Nuno Morais Sarmento fez a defesa da estratégia de Rui Rio, em manter o partido ao Centro em vez de colocá-lo à Direita - ou não fosse ele o vice-presidente do partido.

"O centro é a primeira trincheira da Direita, e a última da Esquerda. Nessa linha da frente está o nosso partido. Por isso, sozinhos temos a responsabilidade histórica dessa trincheira, a única de que depende a maioria política em Portugal", disse.

Segundo Morais Sarmento, "abandonar essa trincheira era oferecer o Centro ao PS e permitir uma maioria não socialista em Portugal".

O social-democrata, que deixou um apelo à unidade do partido, deixou duras críticas ao Governo PS, de quem disse que "fala de uma realidade cor de rosa" mas que só "uma parte do pais que finge acreditar" nela.

"O PS acusa-nos de defender um modelo mais liberal na saúde, acusando de que as pessoas poderão morrer às portas dos hospitais - mas isso é o que já está a acontecer. Se nada mais houvesse, só a saúde seria suficiente para provar que os governos à Esquerda levam à queda dos serviços públicos. [Porque] Quando não se produz riqueza, não há riqueza para investir no Estado Social", disse, sublinhando que "é o bem-estar dos portugueses que é sacrificado no altar das ideologias".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG