INE

Mortalidade abaixo da média dos últimos cinco anos

Mortalidade abaixo da média dos últimos cinco anos

Número de óbitos continua a baixar, sobretudo na faixa etária do 80-84 anos, a mais fustigada pela covid-19.

A mortalidade está com tendência decrescente desde meados de fevereiro, em linha com o desacelerar da curva epidémica, com registos abaixo da média dos últimos cinco anos. De acordo com os dados esta manhã divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), entre 22 de fevereiro e 7 de março o número de mortes registadas (4805) situaram-se abaixo da média do período 2015-2019.

Com maior expressão, sublinha o gabinete de estatísticas nacional, na primeira semana de março, com menos 174 óbitos face à referida média. Altura em que o SARS-CoV-2 respondeu por 9,3% do total de óbitos. Numa leitura por faixas etárias, a maior redução verificou-se no grupo 80 a 84 anos, o mais fustigado pela covid-19. Face ao período 2015-2019, o número de óbitos registados naquelas duas semanas caiu 11,7%. Em sentido contrário, o INE destaca uma subida nas faixas 65-69 e 70-74 anos.

Em termos de território, e para o período em análise, a região Norte concentrou 29,1% da mortalidade, seguida pela Área Metropolitana de Lisboa (28,2%) e Centro (24,4%). Contudo, frisa o INE, "em termos relativos, o maior número de óbitos por 100 mil habitantes registou-se no Alentejo (63,9 óbitos), seguido pelo Centro (53,0) e pela Área Metropolitana de Lisboa (47,4)". O Norte teve a mais baixa incidência (43,7 óbitos). De referir, por último, que na primeira semana de março apenas a Área Metropolitana de Lisboa, onde mais impacta agora a 3.ª vaga da pandemia, registou um número de óbitos acima da média dos últimos cinco anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG