Doenças

Movimento de doentes crónicos concorda com isenção nos actos da doença

Movimento de doentes crónicos concorda com isenção nos actos da doença

O movimento que defende a criação de um estatuto do doente crónico concorda com a isenção de pagamento das taxas moderadoras apenas nos actos relativos à doença, embora levante dúvidas sobre a forma como a mesma será aplicada.

"Um doente crónico com um cancro na língua não tem de estar isento quando parte um pé, mas há muitas doenças crónicas que precisam, por exemplo, de fisioterapia", disse Paulo Alexandre Pereira, da direcção da associação Todos com a Esclerose Múltipla (TEM).

O dirigente da TEM, uma das subscritoras da petição que defende o estatuto do doente crónico, classifica de "justa" a medida anunciada, esta quinta-feira, pelo ministro da Saúde de que a isenção de pagamento de taxas moderadoras para os portadores de doenças vai deixar de ser total, passando a aplicar-se apenas aos actos relativos à respectiva doença.

"É uma medida justa, mas é preciso ver que cada caso é um caso e há especialidades que se cruzam", disse.

Para Paulo Alexandre Pereira, todos os actos médicos directa e indirectamente relacionados com a doença devem estar isentos para estes doentes.

Na opinião deste dirigente da TEM, os doentes deverão concordar e aceitar a medida, embora espere que eles não sejam prejudicados nos seus direitos.