Promessa

Deixou 1700 velas em Fátima. Uma por cada dia que esteve na prisão

Deixou 1700 velas em Fátima. Uma por cada dia que esteve na prisão

Durante o tempo em que esteve presa, numa cadeia do Peru, Isabel (nome fictício), conseguiu suplantar todas as dificuldades sem libertar uma única lágrima. Mas na tarde deste sábado, não conseguiu conter a emoção: depositou as últimas 450 velas no tocheiro do Santuário, de um total de 1700 que havia prometido à Nossa Senhora de Fátima.

"Agora está tudo cumprido. Era como um peso que tinha em cima, mas já estou aliviada e agradecida", confessou Isabel ao JN, pedindo, no entanto, para não ser identificada nem fotografada, pois a sua história, apesar de "já fazer parte do passado", não é do conhecimento de muitos dos seus amigos e familiares.

Num momento menos esclarecido da sua vida, tinha na altura 29 anos, viu-se envolvida numa rede de tráfico de droga que a levou até ao Peru. As coisas correram mal, foi apanhada pela polícia e condenada a uma pena de prisão de 4 anos e oito meses. Sozinha, numa cadeia pouco amistosa, sobretudo para estrangeiras, encontrou na fé e na devoção a Nossa Senhora de Fátima, a força que precisava para preencher os dias cheios de vazio.

Para "compensar" e agradecer por essa força espiritual, prometeu que quando regressasse à liberdade, iria a Fátima deixar 1700 velas, uma por cada dia que esteve em reclusão. Hoje, com 35 anos, deixou as últimas 450 velas, e deslocou-se a pé entre Torres Novas e a Cova da Iria, para dar por concluído o pagamento da promessa.

Deu também quatro voltas de joelhos à Capelinha das Aparições, uma por cada ano de cadeia. No final, os seus olhos brilhavam, num misto de alegria e de emoção pela sensação do dever cumprido.

Mais à noite, Isabel irá juntar-se aos milhares de peregrinos que estão a dirigir-se ao Santuário de Fátima para participar na procissão das velas, o primeiro momento alto da última peregrinação internacional aniversário do ano.

As celebrações são presididas pelo arcebispo de Seul, cardeal Andrew Yeom Soo-jung, e terminam este domingo, 13, com uma missa, que terá início às 10.00 horas.