Nomeações

Namorada de ministro do Ambiente teve luz verde da CReSAP

Namorada de ministro do Ambiente teve luz verde da CReSAP

Fernanda Lacerda, atual companheira do ministro do Ambiente, teve parecer favorável da Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (CReSAP) para vogal do Conselho de Administração da Águas do Norte, lugar que ocupa desde junho de 2016. Em junho do ano passado, foi promovida a vice-presidente.

Depois de ter trabalhado com Matos Fernandes nas Águas do Porto - ela como diretora e ele como presidente, entre 2014 e o final de 2015 -, Fernanda Lacerda conta com 20 anos de percurso dentro do grupo ADP - Águas de Portugal, segundo fonte da empresa pública.

O seu nome foi sujeito a um parecer da Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (CReSAP), que a considerou "adequada" para vogal da Águas do Norte. Isto, em junho de 2016, quando terá saído da Águas do Porto.

Ainda segundo a ADP, em resposta ao JN, Fernanda Lacerda "foi proposta pela ADP - Águas de Portugal, SGPS, S.A., acionista maioritário da Águas do Norte, como vice-presidente do conselho de administração em junho de 2018, após parecer favorável da Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (CReSAP)".

Esta sexta-feira, o ministro do Ambiente negou qualquer intervenção na designação da ex-mulher, Ana Isabel Marrana, para assessora da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) ou da ascensão da atual companheira, Fernanda Lacerda, a vice-presidente da Águas do Norte. Uma e outra já tinham uma carreira no Estado antes das promoções, disse fonte ministerial.

Refira-se que Isabel Marrana, divorciada do ministro no verão de 2018, foi chefe de gabinete da secretária de Estado de Ordenamento do Território, desde a tomada de posse do Governo. Após a separação, decidiu rumar ao Norte e voltar ao lugar de origem na Comissão de Coordenação Regional do Norte (CCDR-N). A 1 de janeiro de 2019, tornou-se assessora da Agência Portuguesa do Ambiente na Administração da Região Hidrográfica do Norte

Matos Fernandes garantiu, esta sexta-feira, que Isabel Marrana "não foi nomeada", mas sim "requisitada" e que a ex-mulher "trabalha há mais de 30 sempre na área do ambiente". Sobre o outro caso, recusou comentar "a vida pessoal".