Pandemia

Novas medidas em vigor "pelo tempo que for necessário". "Cautela" é a palavra de ordem

Novas medidas em vigor "pelo tempo que for necessário". "Cautela" é a palavra de ordem

O primeiro-ministro, António Costa, atualizou, esta quinta-feira, a situação epidemiológica do país e anunciou as medidas que estarão em vigor a partir do próximo dia 10 de janeiro, ao fim de duas "semanas de contenção".

"Cautela" é a palavra de ordem. Costa considerou, após o Conselho de Ministros desta quinta-feira, que Portugal se encontra numa situação "tranquila" em relação aos casos graves de covid-19 e que é possível avançar para o levantamento de algumas das restrições impostas na altura do Natal e do Ano Novo.

"Não estamos numa situação de pressão sobre os internamentos, quer em cuidados gerais, quer em cuidados intensivos. Temos neste momento no nosso sistema hospitalar cerca de 16 mil pessoas internadas e menos de 10% são doentes covid-19", afirmou. "Caso a situação se alterar, teremos sempre em conta os diferentes indicadores, que tem a ver com a capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde", ressalvou.

"A alta transmissibilidade da variante ómicron foi crescente e neste momento é dominante, representando cerca de 90% dos casos positivos", revelou. Ainda assim, as dúvidas sobre a severidade da doença foram clarificadas "de forma inequívoca" pelos especialistas. Apesar da alta transmissibilidade, "esta variante oferece menor severidade".

Costa sublinhou, porém, que as medidas "vão estar em vigor pelo tempo que for necessário estarem em vigor" e disse esperar que "a evolução da pandemia não nos faça regredir neste avanço prudente e cauteloso que agora fazemos".

Testagem e vacinação "fundamentais"

PUB

O primeiro-ministro referiu que o reforço da testagem tem sido um "instrumento fundamental para a deteção precoce de situações de infeção e para conter o ritmo de transmissibilidade da doença" e revelou que foram realizados, em dezembro, cinco milhões de testes, com um recorde de mais de 402 mil testes no dia 30 de dezembro.

Em relação à vacinação, 89% da população já tem o esquema primário de vacinação completo e, nos grupos etários acima dos 65 anos, há "uma cobertura de dose de reforço de 83%". Mais de três milhões de portugueses receberam uma terceira dose de vacina contra a covid-19,

Costa revelou ainda que Portugal está a vacinar, em média, 84 mil pessoas por dia e que tem capacidade de chegar às 94 mil.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG