Política

Novo líder da IL só será eleito no final de janeiro

Novo líder da IL só será eleito no final de janeiro

A convenção eletiva da Iniciativa Liberal (IL) vai realizar-se depois do dia 20 de janeiro, sendo adiada em cerca de um mês relativamente à data inicialmente estipulada. Esta foi uma das decisões do Conselho Nacional do partido, que reuniu este domingo em Coimbra. Da convenção, sairá o sucessor de João Cotrim Figueiredo, estando na corrida Rui Rocha e Carla Castro.

A moção para o adiamento da convenção foi aprovada antes da pausa para almoço, tendo sido proposta por Paulo Lopes. Os dois candidatos à liderança concordam na necessidade de uma revisão dos estatutos da Iniciativa Liberal, que permita reduzir o peso das inerências no Conselho Nacional daquele partido.

Revisão dos estatutos

PUB

Carla Castro defende uma comissão executiva mais reduzida, cujos membros "não tenham voto" no Conselho Nacional, enquanto Rui Rocha reiterou que esta "é uma das questões relevantes" para o futuro da IL.

Recorde-se que aquele candidato liberal já tinha anunciado que a abertura de um processo de revisão estatutária seria uma das suas primeiras medidas a tomar, caso fosse eleito presidente do partido. Ontem manteve o empenho para "abrir as portas" a um processo de atualização dos estatutos da Iniciativa Liberal.

"Há um peso excessivo nessas inerências. É um tema que deve ser discutido nos órgãos próprios", adiantou, salientando que, "neste momento, há algum desequilíbrio" na composição e funcionamento do Conselho Nacional.

Uma "revisão dos estatutos do ponto de vista das inerências", designadamente dos membros da comissão executiva, para que estes não tenham direito a voto no Conselho Nacional, foi igualmente preconizada por Carla Castro.

O Conselho Nacional da Iniciativa Liberal é constituído por 75 elementos, um terço dos quais (25 membros) tem assento neste órgão, com direito a voto, só pelo facto de fazerem parte da comissão executiva. É o caso dos candidatos Rui Rocha e Carla Castro.

A Iniciativa Liberal esteve reunida no Hotel Vila Galé, em Coimbra. O encontro começou às 10.30 horas e estava previsto terminar às 19 horas, mas, quase duas horas depois, ainda estava a decorrer sem hora estimada para o encerramento. Ao que o JN conseguiu apurar, pelas 21 horas, ainda não tinha sido votada a maioria das moções.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG