Exclusivo

Número de cuidadores por idoso cai a pique até 2050

Número de cuidadores por idoso cai a pique até 2050

Estudo alerta para situação alarmante em Portugal, que passará de cinco pessoas disponíveis para olhar por cada idoso para duas.

Num país cada vez mais envelhecido, quem sobrará para tomar conta dos idosos? A resposta é: muito poucos. De acordo com um estudo recente, realizado por investigadores portugueses, o rácio de potenciais cuidadores informais por idoso vai cair a pique até 2050 em toda a Europa. Em Portugal e noutros países mediterrânicos, a situação é alarmante: os cinco potenciais familiares e amigos que há atualmente para cuidar de cada idoso passam para dois.

O estudo foi desenvolvido por investigadores do Cintesis-Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde e da Universidade de Aveiro (UA) e publicado, no início do mês, na revista científica "Healthcare". Pegando nas estatísticas populacionais de 2011 e de 2020, a investigação apresenta projeções para as próximas décadas em 28 países europeus. O decréscimo é notório em toda a Europa, mas Portugal, Espanha, Itália e Grécia serão os países com menos pessoas para olhar pelos mais velhos. Portugal passará de cinco potenciais cuidadores (familiares e amigos com idades entre 45 e 64 anos) por idoso com mais de 80 anos em 2020, para dois entre 2040 e 2050 e menos do que isso na década seguinte.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG