O Jogo ao Vivo

Nacional

Ordem dos Médicos disposta a receber famílias de refugiados em Lisboa

Ordem dos Médicos disposta a receber famílias de refugiados em Lisboa

A Ordem dos Médicos disponibilizou-se, esta quinta-feira, para receber uma família de refugiados num apartamento em Lisboa, do Fundo de Solidariedade, salientando que pretende assumir, em conjunto com as autoridades oficiais, as responsabilidades financeiras que se revelem necessárias.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a Ordem dos Médicos (OM) escreve que o Fundo de Solidariedade da Ordem dos Médicos tem como "missão prestar auxílio a médicos carenciados, ajudando, em montante variável, dezenas de médicos ou familiares de médicos que vivem com graves dificuldades, mas perante esta situação excecional não lhe poderia ficar alheio".

Na nota, a Ordem manifesta também "plena confiança na disponibilidade de todos os médicos para colaborar na receção de uma população profundamente fragilizada e traumatizada, que necessitará certamente de cuidados de saúde urgentes, polivalentes e continuados".

A OM lembra que os portugueses, em Portugal ou no estrangeiro, já necessitaram em muitos momentos da solidariedade dos outros.

"Pela sua vocação vital, humanista e solidária, porque todos os dias vivem o apelo e tentam resolver as difíceis histórias de vida dos seus doentes, os médicos sentem em particular o drama de todos aqueles padecem, dos que são obrigados a fugir das suas casas e dos seus países, dos que sofrem sem o conforto do calor de uma mão amiga, de todos aqueles que precisam da solidariedade e compreensão dos outros seres humanos", sublinha a OM, no comunicado enviado à Lusa.

Por isso, a OM decidiu disponibilizar-se para receber uma família de refugiados num apartamento do Fundo de Solidariedade em Lisboa e assumir as responsabilidades financeiras que se revelem necessárias para a integração na sociedade ou até eventual regresso aos país de origem.

Entre quatro e cinco mil refugiados chegaram à Croácia nas últimas 24 horas, depois do encerramento das fronteiras da Hungria na quarta-feira, de acordo com a televisão croata (HRT).

Os migrantes, incluindo os refugiados que fugiram dos conflitos no Médio Oriente, continuam a seguir em direção à Croácia, país que se tornou uma nova porta de entrada na União Europeia.

Quase 1.200 migrantes chegaram na quarta-feira à Croácia, depois de aberta uma nova estrada para entrada na União Europeia, após o encerramento da fronteira entre a Hungria e a Sérvia, refere em comunicado o Ministério do Interior croata.