Igreja

Organismos católicos defendem D. Manuel Clemente e criticam Imprensa

Organismos católicos defendem D. Manuel Clemente e criticam Imprensa

Juristas católicos, diáconos e conselho pastoral de Lisboa manifestaram apoio ao cardeal patriarca, D. Manuel Clemente.

A Associação de Juristas Católicos, a Comissão Permanente do Conselho Pastoral Diocesano de Lisboa e a Comissão Coordenadora do Diaconado Permanente emitiram notas de apoio ao cardeal patriarca de Lisboa, na sequência das polémicas que envolveram D. Manuel Clemente nas últimas semanas.

PUB

Os juristas católicos referem que "as peças jornalistas que atingem o Cardeal Patriarca, ofuscam em lugar de esclarecer, como deve ser a missão do jornalismo". Entendem ainda que a atuação do Patriarca foi "irrepreensível à luz das leis civis e canónicas, sendo o seu empenho notório na erradicação do mal objetivo dos abusos, sendo que as insinuações ferem pela sua injustiça e por confundirem, em lugar de contribuir para o apuramento da verdade".

Em causa estão as notícias que referem que D. Manuel Clemente terá, alegadamente, encoberto denúncias de abusos sexuais no Patriarcado de Lisboa. As notícias levaram a que o patriarca de Lisboa se deslocasse ao Vaticano, para discutir com o Papa tudo o que se terá passado, e originaram alguns pedidos de demissão da parte de algumas figuras da sociedade civil. Num encontro privado com o Papa Francisco, D. Manuel Clemente terá colocado o lugar à disposição.

Também a Comissão Coordenadora do Diaconado Permanente manifesta publicamente o seu total apoio ao cardeal, referindo que acompanhou "com atenção e tristeza, as notícias das últimas semanas sobre a Igreja em Portugal, e a Igreja diocesana de Lisboa em particular, notícias essas geralmente acompanhadas de muitas especulações e inverdades, nomeadamente acerca do Patriarca de Lisboa".

Os representantes dos diáconos permanentes fazem agora "eco daquilo que muitos dos diáconos da diocese nos têm transmitido ao longo destes dias" e manifestam ao patriarca o "afeto e proximidade, bem como a nossa fidelidade e incondicional comunhão".

No apoio público a D. Clemente, a Comissão Permanente do Conselho Pastoral Diocesano defende o seu bispo, destacando "a entrega incondicional e sem reservas ao serviço da Igreja e da sociedade portuguesa". Os membros da Comissão relevam "o empenho decidido no combate à chaga dos abusos sexuais de menores e pessoas vulneráveis nos ambientes eclesiais, com atenção primordial à proteção das vítimas, na possível reparação dos danos do passado e na mais cuidada e vigorosa prevenção da sua repetição no futuro", refere a nota. Desta forma, consideram que a "intensa cobertura mediática" dos últimos dias tem provocado uma "condenação pública" com base em declarações "cujo sentido tem sido distorcido", sustentando que a dita cobertura mediática "não tem em conta a globalidade da sua ação neste campo e que nada tem a ver com a proteção das vítimas desse crime".

O Secretariado Permanente do Conselho Presbiteral, que representa os padres da diocese, também já tinha emitido um comunicado em defesa do cardeal patriarca.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG