Nacional

País "sem condições" para manter dois professores em Educação Visual

País "sem condições" para manter dois professores em Educação Visual

A ministra da Educação afirmou esta terça-feira que a manutenção de dois professores a leccionar as disciplinas de Educação Visual e Tecnológica e Área Projecto "representa um acréscimo de investimento que o país não está em condições de assumir".

A falar aos jornalistas ao final da manhã na Escola Secundária Emídio Navarro, em Almada, Isabel Alçada sublinhou a necessidade de reformar e ajustar o Ensino Básico e voltou a defender o decreto-lei do Governo sobre este assunto, que a oposição impediu no início do mês que continuasse em vigência.

O Governo publicou o diploma em "Diário da República" a 2 de Fevereiro, com produção de efeitos a 1 de Setembro.

Este decreto-lei determinava a eliminação da Área de Projecto, limitava o estudo acompanhado a alunos com mais dificuldades e reduzia de dois para um o número de professores a leccionar EVT. A 4 de Março a oposição parlamentar aprovou a cessação de vigência do diploma.

Isabel Alçada lembrou que "na maior parte dos países (as crianças que frequentam o Ensino Básico) têm um professor generalista para todas as disciplinas, que é coadjuvado (por outros professores) na área da música, da língua estrangeira e do desporto".

"Temos esta tradição de diversidade de professores. Mantemo-la, mas quando temos que reduzir, temos que olhar para onde é que se pode reduzir sem prejudicar, e este é o caso", acrescentou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG