O Jogo ao Vivo

Premium

Pandemia causa rombo de 50 milhões à Igreja

Pandemia causa rombo de 50 milhões à Igreja

Com Páscoa em casa e sem celebrações do mês de maio, muitos milhares de ofertas ficaram por fazer. Já há padres a defender o fim dos peditórios para fora.

A Igreja Católica portuguesa terá deixado de receber 50 milhões de euros nos cerca de três meses em que o culto foi encerrado ou reduzido por causa da covid-19. O valor é uma estimativa feita por fontes ligadas à gestão financeira de dioceses do Norte. Março, abril e maio são meses tradicionalmente "generosos a nível financeiro" e que permitem juntar dinheiro para o resto no ano. As cerimónias com a presença de fiéis são retomadas amanhã, mas a crise parece ter vindo para ficar.

Com a Páscoa "cancelada" e o mês de maio sem as centenas de celebrações alusivas a Nossa Senhora, também as esmolas e as ofertas não foram entregues porque as caixas estão no interior dos templos e as igrejas estavam fechadas. Maio é o mês dos casamentos. Na Basílica do Bom Jesus, em Braga, dos 174 marcados para este ano só 47 ainda não foram cancelados. Por cada cerimónia, a Confraria deveria receber 200 euros.