Exclusivo

Pandemia trocou as voltas às celebrações dos casamentos

Pandemia trocou as voltas às celebrações dos casamentos

Estava previsto que encontro de 1300 casais, que celebram 10, 25, 50 e 60 anos de matrimónio, acontecesse em igreja da Maia. Secretariado Diocesano da Pastoral Familiar teve de optar por dividir jubilados por paróquias.

É costume o Dia Diocesano da Família, celebrado pela Diocese do Porto, juntar 1200 casais que comemoram os 10, 25, 50 e 60 anos de casados. Só no ano passado, o Arena Dolce Vita, em Ovar, recebeu 2500 pessoas. Um cenário "impossível de concretizar-se" este ano por conta da pandemia. Ainda assim, são quase 900 os casais inscritos. Mas com cerimónias dispersas. Com algumas marcadas para amanhã, as celebrações serão contidas, com os casais reunidos nas suas paróquias.

Segundo Ângelo Soares, diretor do Secretariado Diocesano da Pastoral Familiar, "o 19.º encontro ainda chegou a ser pensado para acontecer entre maio e junho na Igreja de Nossa Senhora da Maia, onde se iriam reunir 1300 casais". Não aconteceu. "Em setembro, com o avanço da covid-19, percebemos que não podíamos continuar com um evento desta dimensão", assinalou. Até porque, "80% dos jubilados são os que celebram 25 e 50 anos de matrimónio, logo, pertencem ao grupo de risco e era impossível fazer a celebração com segurança".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG