O Jogo ao Vivo

Parlamento

Partidos em "quarentena" socorrem-se das tecnologias

Partidos em "quarentena" socorrem-se das tecnologias

Mensagens escritas e grupos de WhatsApp em vez de reuniões em gabinetes; teletrabalho no lugar de visitas a instituições; plataformas de vídeo a substituir conferências de imprensa.

Esta é, por estes dias, a realidade comum a todos os partidos, provocada pela pandemia de Covid-19. Com os plenários da Assembleia da República (AR) reduzidos, muitas comissões suspensas e audiências adiadas, impôs-se a procura de alternativas.

O WhatsApp é, agora, uma ferramenta essencial no dia a dia dos deputados; o Skype e o Zoom asseguram a continuidade das reuniões, conferências de imprensa e até encontros alargados. No entanto, os partidos são unânimes: com maiores ou menores dificuldades, o trabalho continua a ser feito.

O PS reduziu o número de funcionários na AR ao "estritamente necessário", segundo fonte do partido. O chefe de gabinete, bem como um assistente por piso, estão sempre no edifício. No entanto, atualmente, a maioria das decisões do grupo parlamentar acontece em reuniões via Skype, com cada deputado a participar a partir de casa. A comissão permanente do partido também usou essa ferramenta de vídeo em direto para debater os desafios colocados pela pandemia.

"estar mais disponíveis"

O trabalho dos assessores "demora um bocadinho mais", mas "continua a ser assegurado", revela a mesma fonte socialista. A audição à Ordem dos Advogados, a 9 de março, foi um dos eventos cancelados devido à Covid-19; o mesmo ocorreu com as sessões de esclarecimento sobre o Orçamento do Estado que deviam ter tido lugar por todo o país.

No caso do BE, "o ritmo não abrandou muito". De acordo com fonte do partido, a maior mudança foi terem deixado de existir horários fixos, porque passou a poder haver sessões públicas em direto a qualquer altura: agora, "todos têm de estar muito mais disponíveis".

Os bloquistas estão a receber muitas denúncias de abusos laborais e até criaram um site próprio, o despedimentos.pt, onde qualquer pessoa as pode divulgar. Também têm promovido sessões públicas na Internet, por vezes vezes traduzidas por um intérprete de língua gestual.

Um desses diretos, que contou com a participação da deputada Mariana Mortágua, ultrapassou as 19 mil visualizações. Recentemente, o partido realizou um encontro dedicado ao ensino superior também por via online.

O CDS recorda que foi o primeiro partido a fazer uma conferência de imprensa por vídeo - daí para cá, o líder Francisco Rodrigues dos Santos tem repetido a fórmula. Fonte partidária refere que o principal desafio foi encontrar "uma maneira nova de estarmos todos ligados", mas assegura que dirigentes, deputados e assessores habituaram-se bem às novas necessidades.

cds quer "ajudar" costa

A sede do partido encerrou e todas as deslocações foram canceladas. O CDS, que tem feito força para que a AR desmarque todos os plenários, quer que a Comissão de Educação oiça o ministro da tutela, tendo solicitado que a sessão decorra por videoconferência. De momento, o foco dos democratas-cristãos também se alterou: a palavra de ordem é "fiscalizar" as ações do Governo no sentido de o "ajudar" a combater a pandemia, em vez de "tentar impor" soluções.

Quanto ao PAN, o partido sublinha que "sempre apostou no digital" e que, também em virtude disso, tem recebido muitas denúncias e pedidos de ajuda nas áreas em que atua. Quando se justifica, estas transformam-se em iniciativas legislativas ou em questões dirigidas ao Governo. As sedes locais foram encerradas e o teletrabalho só não ocorre quando é necessário ir à AR. Nessas ocasiões, o PAN reúne uma equipa de dois deputados (metade dos eleitos) e três assessores.

Já o PEV sente, enquanto partido "que está muito no terreno", que a pandemia tem sido um "grande obstáculo". Os outros desafios apontados são a quebra de rotinas" e a interrupção da "relação afetiva" que, por norma, as reuniões presenciais comportam.

O JN contactou fontes parlamentares do PSD e do PCP, mas não teve resposta até ao fecho da edição.

Joacine ganhou tempo - O gabinete da deputada diz que, como boa parte da atividade das comissões foi suspensa, Joacine Katar Moreira ficou com mais tempo para trabalhar noutros assuntos.

Rotatividade no Chega - Os seis assessores entraram em regime de rotatividade, mas há duas exceções: uma por estar grávida, outro por pertencer a um grupo de risco (tem mais de 70 anos).

IL cria "task-force" - A equipa parlamentar entrou em teletrabalho a 10 de março. Há um mês, o partido criou uma task-force para acompanhar dados nacionais e internacionais sobre a Covid-19.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG