Nacional

Passos Coelho admite violação de segredo de Estado nas secretas

Passos Coelho admite violação de segredo de Estado nas secretas

O gabinete do primeiro-ministro admite a possibilidade de ter existido violação do secredo de Estado por parte do ex-director do Serviço de Informações Estratégicas e Defesa. E o secretário-geral do Sistema de Informações da República Portuguesa, Júlio Pereira, "colocou já à consideração do procurador-geral da República a instauração de um inquérito criminal.

"Tendo o antigo director do Serviço de Informações Estratégicas e Defesa (SIED), Jorge Silva Carvalho, através de entrevista concedida à Comunicação Social, referido que transmitiu a entidades privadas ainda no exercício daquelas funções, através do seu e-mail pessoal, informações sobre diversas matérias, e havendo diligências cuja realização só pode ser concretizada no âmbito de uma investigação criminal, o secretário-geral do SIRP colocou já à consideração do procurador-geral da República a instauração de um inquérito criminal", revelou, na tarde desta sexta-feira, o gabinete do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.

Em nota enviada à Comunicação Social, o gabinete de Passos Coelho assume que "não se afasta por completo a possibilidade de ter existido violação de Segredo de Estado ou do dever de sigilo, que, a ter existido, configura nos termos da lei a prática de crime".

Recorde-se que Jorge Silva Carvalho dirigiu até final do ano passado o SIED. Já na quinta-feira o presidente do Conselho de Fiscalização do Sistema de Informações da República, Marques Júnior, admitiu que "se registou uma utilização indevida de meios afectos ao SIED e o envio indevido de informação".