Paulo Portas

Passos Coelho elogia "líder partidário carismático" Paulo Portas

Passos Coelho elogia "líder partidário carismático" Paulo Portas

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, elogiou, esta terça-feira, o "líder partidário carismático" Paulo Portas, que anunciou a saída da chefia do CDS-PP, e disse ter a certeza de que os centristas encontrarão "um novo caminho de liderança".

O anterior primeiro-ministro falou à agência Lusa a propósito da não recandidatura de Paulo Portas ao cargo de presidente do CDS-PP, para enaltecer "o papel muito destacado" que o ex-vice-primeiro-ministro teve no exercício de funções governativas e partidárias.

"Acho que o país lhe fica a dever uma intervenção muito destacada e competente", considerou. Sobre a escolha do sucessor de Paulo Portas, Pedro Passos Coelho não quis pronunciar-se, mas declarou: "O CDS-PP encontrará, tenho a certeza, um novo caminho de liderança".

Paulo Portas comunicou na segunda-feira à noite perante a Comissão Política Nacional do CDS-PP que não se recandidatará ao cargo de presidente deste partido em 2016, pondo fim a quase 16 anos de liderança iniciados em 1998, com dois de interregno, entre 2005 e 2007.

Em declarações à Lusa, Pedro Passos Coelho referiu-se ao CDS-PP como "um partido fundamental à democracia portuguesa" e "um parceiro privilegiado do PSD", e a Paulo Portas como "líder partidário carismático e alguém que prestou muitos serviços ao país".

O anterior primeiro-ministro quis salientar, neste momento, a forma como o seu ex-parceiro de coligação exerceu funções enquanto líder do CDS-PP e governante, realçando "o papel relevante" que desempenhou na governação conjunta dos últimos quatro anos.

O presidente do PSD apontou Paulo Portas como "um dos principais responsáveis por Portugal e os portugueses terem conseguido recuperar a credibilidade e a confiança".

Questionado sobre o futuro de Paulo Portas, Passos Coelho escusou-se a abordar o assunto nesta ocasião.

No final da reunião da Comissão Política Nacional do CDS-PP, já na madrugada desta terça-feira, Portas afirmou aos jornalistas que estava decidido a sair da liderança mesmo que o Governo de coligação com o PSD continuasse em funções e disse que conversou com Passos Coelho sobre isso.

"Quero que saibam que se as eleições de 4 de outubro tivessem resultado num novo mandato de Governo da coligação, antes do final eu teria, e sobre isso conversei com o presidente do PSD, com tempo e naturalmente, aberto a sucessão no meu partido", relatou.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG