Tomada de posse

PCP respeita, mas aponta "omissões" a discurso de Marcelo

PCP respeita, mas aponta "omissões" a discurso de Marcelo

O PCP apontou, esta terça-feira, omissões no discurso de posse de Marcelo Rebelo de Sousa para o segundo mandato como Presidente da República, por não valorizar os trabalhadores, mas disse respeitar as suas posições.

Num comentário, no parlamento, ao discurso de Marcelo, o secretário-geral dos comunistas, Jerónimo de Sousa, afirmou que a "parte mais importante" da cerimónia de hoje foi "o juramento solene feito perante os portugueses" de "cumprir, defender e fazer respeitar a Constituição".

Porque, justificou, um dos problemas do país é o não cumprimento da Constituição, e pode ser na lei fundamental que se podem encontrar respostas para a "situação económica e social" de Portugal, a braços com a crise causada pela pandemia de covid-19, desde há um ano.

"O grande desafio é encontrar na Lei Fundamental uma linha de rumo para ajudar o nosso pais a sair da situação em que se encontra neste momento", disse.

Jerónimo de Sousa apontou "omissões" no discurso de Marcelo, por ter falado de "descentralização" e não da regionalização", por ter falado das consequências sociais da crise, mas "não falou da valorização do trabalho e dos trabalhadores, particularmente dos seus salários".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG