O Jogo ao Vivo

Covid-19

Peritos reunidos com DGS para analisar vacinação de crianças

Peritos reunidos com DGS para analisar vacinação de crianças

Em causa imunização do grupo 5-11 anos, num universo de 643 mil menores.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) está nesta tarde reunida com a Comissão Técnica de Vacinação para analisar a imunização contra a covid de crianças a partir dos cinco anos, no dia em que a Agência Europeia do Medicamento (EMA) deu luz verde à administração da Comirnaty (Pfizer/BioNTech) na faixa 5-11 anos, confirmou o JN junto da DGS. Com uma dosagem três vezes inferior face aos maiores de 12 anos. Reunião, apurou o JN, que estava já marcada e visa dar continuidade ao trabalho em curso daquele grupo de peritos.

A DGS reativou, recentemente, um grupo de trabalho onde participam várias sociedades científicas, como as de Pediatria ou Infecciologia Pediátrica, bem como as Ordens profissionais dos Médicos, Enfermeiros e Farmacêuticos. Que, no passado, trabalharam e emitiram parecer aquando da vacinação dos maiores de 12 anos. O tema em cima da mesa é delicado e divide a comunidade médica. Os especialistas estão neste momento a elaborar um parecer que será depois entregue à Comissão Técnica de Vacinação.

Na terça-feira, a Sociedade Portuguesa de Pediatria, provadas que sejam a eficácia e segurança da vacina na faixa dos 5-11 anos, admitiu já a imunização destes menores, se tal "permitir trazer normalidade à vida das crianças". Em causa, refira-se, está um universo superior a 643 mil crianças.

Hoje mesmo, por sua vez, a Ordem dos Enfermeiros, em parecer enviado à DGS, opôs-se à vacinação deste grupo etário, "para já", defendendo "aguardar-se por uma maior evidência científica quanto aos custos-benefícios a médio e a longo prazo". Em comunicado, sublinham que "os benefícios de saúde individuais decorrentes da vacinação de crianças saudáveis serão 'limitados', face aos dados conhecidos até ao momento, e que, por isso, a prioridade se deve centrar na vacinação de pessoas adultas da forma mais célere possível".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG