PSD

Pinto Luz avança para a corrida onde já está Montenegro

Pinto Luz avança para a corrida onde já está Montenegro

Miguel Pinto Luz vai entrar na corrida à liderança do PSD, depois de há dois anos ter sido expectável que avançasse. O vice da Câmara de Cascais sai da sombra, aos 42 anos, e disputará a cadeira de Rui Rio com Luís Montenegro, de 46, que anuncia esta quarta-feira a sua candidatura. Já Rio falará até sexta-feira.

O JN apurou junto de fontes próximas do autarca que Pinto Luz prepara-se para anunciar, nos próximos dias, que vai a votos nas diretas.

Segundo a agenda do partido, os sociais-democratas poderão ser chamados a pronunciar-se em janeiro. Ou até antes, caso Rio decida antecipar o processo de ida a votos, após o Conselho Nacional para análise dos resultados eleitorais, que ainda não tem data marcada.

Tendo ficado de fora da lista de candidatos a deputados por decisão de Rio, Pinto Luz não esteve disponível para prestar declarações, ao JN. Mas está no terreno a recolher apoios, soube o JN, podendo vir a criar um cisma entre as distritais do Sul, que eventualmente o apoiem, e as do Norte e Centro, que estão com Montenegro.

Rio fala até sexta-feira

Esta corrida contará certamente com Rio, já que - garantiram ao JN fontes da sua Direção - estará a equacionar referendar a sua liderança, decisão que tomará até sexta-feira, para levar a cabo a estratégia para as autárquicas de 2021, que terá começado a delinear há poucos meses.

Na terça-feira, após a audiência em Belém, Rui Rio considerou que "não seria lógico que o PSD estivesse em grande tumultos" enquanto se desenha a solução governativa.

Pedro Duarte, que chegou há meses a mostrar vontade de concorrer à liderança, anunciou na terça-feira que está fora de jogo. "Hoje, parece-me absolutamente inequívoco que Luís Montenegro, tendo essa vontade, tem condições para congregar esse novo projeto político dentro do PSD", disse, à margem de um evento na Câmara de Comércio Americana em Portugal, em Lisboa.

Montenegro, que anuncia hoje, no Jornal da Noite, da SIC, a sua candidatura, já tem agenda pública: está na sexta-feira num jantar com 600 militantes, em Espinho. Sendo que já reúne o apoio de vários líderes distritais e ex-dirigentes do partido logo após o discurso de Rui Rio, na noite eleitoral. Na sexta-feira, à mesma hora, o ex-líder parlamentar, Hugo Soares, que tem estado sempre ao lado de Montenegro, também janta, em Braga, com semelhante moldura militante.

Outro nome que eventualmente pode surgir é o de Miguel Morgado, antigo assessor político de Passos Coelho e crítico de Rio. "Tenho o meu tempo para decidir o que quer que seja", disse, ao JN.

Maria Luís Albuquerque, que Rio deixou de fora das listas, mereceu, na terça-feira, elogios de Cavaco. Fontes próximas da ex-ministra das Finanças adiantaram que está num movimento de afastamento de qualquer cargo dirigente no partido e apostada na sua carreira, desconhecendo-se o efeito do recado do ex-chefe de Estado. Contactada pelo JN, Maria Luís não quis comentar.

O ex-ministro Jorge Moreira da Silva, agora diretor da OCDE, também pode estar na calha. Mantém-se, porém, longe deste frenesim.