PSD

Pinto Luz lamenta que candidatos não tenham sido convidados para jornadas sobre OE

Pinto Luz lamenta que candidatos não tenham sido convidados para jornadas sobre OE

O candidato à liderança do PSD Miguel Pinto Luz lamentou esta terça-feira não ter sido convidado para participar nas jornadas parlamentares do partido, dedicadas ao Orçamento do Estado.

Numa publicação na rede social do Facebook, Pinto Luz considera que "a decisão da posição do PSD, na votação do próximo Orçamento de Estado, marcará a próxima legislatura".

"Estranho, no entanto, que estando o partido em processo eleitoral para a liderança, os candidatos não tenham sido chamados a intervir nesta reunião, situação que já se verificou anteriormente. A posição do Grupo Parlamentar do PSD, nesta votação, deveria sempre ter em conta a opinião de todos os Candidatos", defendeu.

Em outubro de 2017, o então líder parlamentar Hugo Soares convidou os candidatos à liderança Rui Rio e Pedro Santana Lopes a intervirem nas jornadas do partido, que decorreram em Braga, dedicadas ao Orçamento e ao "Portugal esquecido".

"Era a minha obrigação enquanto líder parlamentar poder proporcionar aos dois candidatos este espaço e esta abertura e, felizmente, os dois acolheram", justificou na altura Hugo Soares.

O presidente e líder parlamentar do PSD, Rui Rio, vai anunciar hoje o sentido de voto do partido em relação à proposta de Orçamento do Estado para 2020, no encerramento das jornadas parlamentares de um dia dos sociais-democratas, que decorrem na Assembleia da República.

Apesar de ainda não ter feito o anúncio formal, Rio já disse, em entrevista à TVI, que "o mais normal é que o principal partido de oposição vote contra" a proposta orçamental do Governo, à qual tem feito muitas críticas.

A votação na generalidade do orçamento acontecerá na sexta-feira, um dia antes das eleições diretas para escolher o próximo presidente do PSD, que Rio disputa com o antigo líder parlamentar Luís Montenegro e o atual vice-presidente da Câmara de Cascais Miguel Pinto Luz.

Se Montenegro defendeu que o PSD devia anunciar o voto contra ainda antes de o documento ser apresentado e tem criticado "a hesitação" de Rio em fazê-lo, Pinto Luz aguardou pela proposta para também defender o voto contra, considerando ser "um Orçamento que penaliza ainda mais as famílias e que tem a maior carga fiscal" das últimas décadas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG