Premium

Porto e Lisboa abdicam de ir a eleições a favor das CCDR

Porto e Lisboa abdicam de ir a eleições a favor das CCDR

A eleição dos presidentes das áreas metropolitanas (AM) do Porto e de Lisboa deve ser adiada, para que a eleição dos líderes das comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional possa avançar.

Eduardo Vítor Rodrigues (Porto) e Fernando Medina (Lisboa) querem separar as duas eleições e dar prioridade às CCDR, no que será um ensaio para uma futura regionalização. Os autarcas já discutiram o tema com o primeiro-ministro e querem ter o dossiê fechado em 2020. As autárquicas são em 2021.

António Costa já tinha inscrito no programa do seu primeiro Governo a eleição (direta) dos presidentes das AM e (indireta) das CCDR. Mas a oposição de muitos autarcas contribuiu para que nenhuma tenha saído do papel. Como explica Eduardo Vítor Rodrigues, num artigo de opinião publicado na próxima página, tratar as metrópoles e os municípios do interior de forma diferente cria "sentimentos de menorização" e transforma a eleição das áreas metropolitanas num obstáculo "instrumentalmente usado contra a regionalização".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG