Exclusivo

Porto recebe menos mas é mais eficaz do que Lisboa a executar fundos

Porto recebe menos mas é mais eficaz do que Lisboa a executar fundos

Grande Lisboa, que teve a fatia de leão dos 104 milhões do PART, só executou 87% e vai devolver 3,85 milhões. Porto, Oeste e Trás-os-Montes gastaram mais do que receberam.

Os milhões do Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART) foram usados, sobretudo, para pagar a descida do preço dos passes da generalidade dos passageiros, que baixaram, em média, 38% em 2019. O investimento no aumento da oferta dos transportes públicos foi residual (1,4 milhões de euros). A taxa nacional de execução do programa é quase de 90%, mas o desempenho difere muito de região para região.

A Área Metropolitana de Lisboa, que ficou com a fatia de leão do apoio do Governo (73 milhões do bolo de 104 milhões em 2019), não conseguiu gastar todo o dinheiro disponível. Apenas investiu na redução tarifária, mas a taxa de execução foi de 87%. Agora, está obrigada a devolver 3,85 milhões ao Governo. Das 23 regiões do país, há 19 que serão chamadas a entregar um total de 7,6 milhões.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG