Exclusivo

Portugal abaixo da média da UE de jovens que estudam e trabalham

Portugal abaixo da média da UE de jovens que estudam e trabalham

O Eurostat apontou, esta segunda-feira, que maioria dos alunos portugueses está fora do mercado de trabalho. O Conselho Nacional de Juventude (CNJ) acredita que os valores estão subvalorizados.

A maioria dos jovens estudantes portugueses (87%) entre os 15 e os 29 anos não são "força de trabalho", ou seja, dedicam-se em exclusivo aos estudos, seja no Secundário ou no Superior. De acordo com dados do Eurostat, o gabinete de estatísticas da União Europeia (UE), no ano passado havia 10,3% de jovens trabalhadores-estudantes em Portugal e 2,9% estavam desempregados, isto é, à procura de emprego ou disponíveis para trabalhar. A média de trabalhadores-estudantes na UE é de 23,4%. Rui Oliveira, presidente do Conselho Nacional de Juventude (CNJ), acredita que os números "são muito mais elevados" e não refletem a quantidade de jovens que trabalham e estudam em Portugal.

"Nos cursos [ensino superior] temos muitos estágios, inclusive os de acesso às ordens profissionais. Duvido muito que esses dados estejam no estudo", diz o dirigente do CNJ. Para Rui Oliveira, tanto os estágios profissionais, que são "fracamente remunerados", como os curriculares, a maioria não sujeitos a qualquer pagamento, são feitos em contexto empresarial. "É, obviamente, uma situação que preocupa", afirma ao JN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG