Pandemia

Portugal com 3,4 óbitos a cada hora por covid-19

Portugal com 3,4 óbitos a cada hora por covid-19

Batido máximo de mortes diárias. Desaceleração sem impacto ainda na mortalidade. Governo avalia medidas quando Alemanha trava a fundo

Desde o início deste mês registam-se, em média, 3,4 óbitos por Covid-19 a cada hora. Com um novo máximo no último dia, com 98 óbitos. Em sentido inverso, o número de novos casos cai há três semanas. Dados a analisar pelo Governo no Conselho de Ministros da próxima quinta-feira e que antecede a renovação das medidas do Estado de Emergência. Numa altura em que a desaceleração já deveria impactar na letalidade e nos internamentos.

De acordo com os dados da Direção-Geral da Saúde, nas últimas 24 horas aumentou ainda tanto o número de pessoas internadas como das que necessitam de Cuidados Intensivos. Colocando a taxa de letalidade nos 1,6%. Quanto aos óbitos, estes 13 dias de dezembro respondem já por 19% do total.

Analisando a evolução diária, há três semanas que diminuem o número de novos casos. Depois de na semana de 16 a 22 de novembro se ter atingido o máximo de novas infeções (39082). Sendo que os peritos apontam o dia 18 de novembro como o do pico da segunda vaga.

Desaceleração que não se faz ainda sentir, para preocupação dos peritos, como o JN noticiou na edição de ontem, na mortalidade. Com os óbitos por SARS-CoV-2 a baterem recordes a cada semana que passa. Com a que hoje terminou a registar o valor mais alto de sempre, numa média diária de 85 óbitos.

Governo avalia medidas

PUB

Dados em cima da mesa do próximo Conselho de Ministros, antecedendo a revisão das medidas no âmbito do Estado de Emergência. Para decidir se as medidas anunciadas até janeiro se mantêm ou são revistas. Isso mesmo tinha avisado António Costa, no dia 5: "Se as coisas não continuarem a correr como até aqui (...) teremos de puxar o travão de mão".

E foi isso que a Alemanha fez (com uma incidência inferior à nossa), depois de ter registado nas últimas 24 horas 20 mil novos casos. O travão de Merkel fecha tudo, de escolas a comércio, funcionando apenas farmácias, supermercados e bancos. No Natal, uma família pode receber na sua casa até quatro familiares.

A Holanda, por sua vez, em confinamento parcial desde 13 de outubro, soma 10 mil novos casos nas últimas 24 horas. O Governo está hoje reunido para decidir medidas mais duras, que deverão ser anunciadas na próxima terça-feira. Em Itália, o Governo está de olhos postos na vacinação, já em janeiro, de 1,8 milhões de cidadãos. Itália, recorde-se, é o hoje o país da Europa com mais óbitos por covid-19, depois de ter ultrapassado o Reino Unido no passado sábado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG