Saúde

Portugal já atingiu 70% de taxa de vacinação, Governo pode antecipar medidas

Portugal já atingiu 70% de taxa de vacinação, Governo pode antecipar medidas

A ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou esta quinta-feira que o país atingiu ontem, quarta-feira, a meta de 70% da população com a vacinação completa, mas afastou, para já, a decisão de deixar cair o uso de máscaras na via pública, lembrando que está em vigor, até dia 12 de setembro, uma lei aprovada pela Assembleia da República.

A ministra admitiu, contudo, que possa haver um Conselho de Ministros Extraordinário, antes da reunião prevista para dia 26, para que se possam antecipar algumas das outras medidas previstas na 2.ª fase do plano de desconfinamento , quando fosse atingida a meta dos 70% de vacinados, inicialmente com data para 5 de setembro, como por exemplo o aumento da lotação em casamentos, batizados e espetáculos culturais para 75%

O aumento da lotação nos restaurantes para oito pessoas por grupo no interior e 15 nas esplanadas, o fim dos limites nos transportes públicos.

PUB

"A boa notícia", graças ao "esforço dos portugueses", foi revelada pela ministra da Saúde em entrevista à SIC no Primeiro Jornal, onde a ministra admitiu que o Governo possa antecipar algumas das medidas previstas.

"Uma alteração de circunstâncias deste tipo pode motivar uma reunião extraordinária amanhã, depois de conhecido o relatório da Direção Geral de Saúde e do Instituto Nacional de Saúde dr. Ricardo Jorge para avançar com o conjunto de medidas associadas ao limiar de 70%", disse, aludindo às questões da ocupação.

O compromisso do alívio de medidas antecipadamente caso a taxa de vacinação fosse atingida mais cedo tinha sido deixado pelo primeiro-ministro, António Costa, quando foi apresentado o plano de desconfinamento.

"Coisa diferente é o tema das máscaras" na via pública, disse a ministra Marta Temido, aludindo à lei da Assembleia da República em vigor e a quem "compete proceder à apreciação".

Questionada sobre se o Governo poderá optar por acelerar o calendário de desconfinamento caso a meta de 85% de vacinados for atingida mais cedo, como parece indicar a velocidade de vacinação, a ministra admitiu que tal possa vir a suceder. "Se pudermos avançar para um alívio, fá-lo-emos".

Contudo, alertou que a utilização de máscara "terá que ser sempre conciliada com as circunstâncias". "É preciso que todos nós consideremos cuidadosamente todos os nosso atos enquanto vivermos em pandemia e a pandemia ainda não acabou"

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG