Aviação

Portugal não espera tratamento diferente para a TAP, mas quer reduzir perda de slots

Portugal não espera tratamento diferente para a TAP, mas quer reduzir perda de slots

O ministro das Infraestruturas afirmou, esta quarta-feira, que Portugal não espera um tratamento diferente do que foi dado às outras companhias, mas quer reduzir a perda de slots ao máximo.

"Todas as companhias aéreas têm perdido slots. Não esperamos um tratamento diferente para a TAP. Obviamente que queremos limitar ao mínimo a perda de slots", afirmou Pedro Nuno Santos, que falava, em conferência de imprensa, no Ministério das Infraestruturas.

O governante recordou ainda que as slots (vagas horárias num aeroporto para uma companhia aérea aterrar e descolar aviões), são "muito importantes" para ligar, por exemplo, a Europa a África ou mesmo aos EUA.

Pedro Nuno assegurou ainda que a TAP não guarda slots, vincando que a UE tem regras "muito claras" sobre esta matéria. "Às vezes, alimenta-se a ideia de que as companhias, neste caso, a TAP guarda slots. Quando uma companhia deixa de voar e usar um determinado slot ele volta ao mercado", afirmou o ministro.

Em 24 de agosto, o presidente da companhia aérea Ryanair acusou a TAP de bloquear slots, no aeroporto de Lisboa, impedindo o crescimento de outras companhias aéreas.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG