Forças Armadas

Portugal prevê enviar 1440 militares em missões no estrangeiro

Portugal prevê enviar 1440 militares em missões no estrangeiro

Portugal prevê empenhar 1440 militares dos três ramos das Forças Armadas em Forças Nacionais Destacadas (FDN) no estrangeiro em 2022, num total de 30 missões internacionais.

Segundo informação pública divulgada em janeiro no site do Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA), sobre as missões internacionais com o empenhamento de Forças Nacionais Destacadas em 2022, e que foram aprovadas pelo Conselho Superior de Defesa Nacional, Portugal participa este ano em nove missões da NATO (Organização do Tratado do Atlântico Norte), sete da União Europeia (UE), três da Organização das Nações Unidas (ONU) e 11 no âmbito de acordos bilaterais e multilaterais.

Comparativamente a 2021, Portugal diminui o seu contingente em 266 militares mas participa em mais três missões este ano.

No total, a NATO é a organização que contabiliza um maior número de militares envolvidos em todas as suas missões, no entanto, à semelhança de 2021, a Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas para a Estabilização da República Centro-Africana (MINUSCA), em Bangui, continua a ser a que absorve mais militares portugueses: ao todo 235.

No âmbito da Aliança Atlântica, Portugal prevê empenhar este ano 776 militares, três navios, 47 viaturas táticas e seis aeronaves.

PUB

Entre as nove missões da NATO destaca-se a "Tailored Forward Presence", na Roménia, que prevê um total de 174 militares portugueses, a "Standing NATO Maritime Group One", no Atlântico, com um total de 196 militares ou ainda a Operação "Sea Guardian", no Mediterrâneo, com 149 militares.

Portugal participa ainda, no âmbito da NATO, em missões na Islândia, no Mar do Norte e Báltico, Alemanha, Lituânia, Kosovo e Iraque.

Já no quadro da União Europeia (UE) destaca-se a presença em África, nomeadamente no Mali (17 militares), na República-Centro Africana (20 militares) ou em Moçambique, com 65 militares na primeira missão militar europeia neste país, dedicada a treinar tropas para enfrentar a insurgência armada em Cabo Delgado que arrancou no início de novembro passado.

No âmbito das Nações Unidas, Portugal integra três missões: a MINUSCA, na República Centro-Africana, a Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas para Estabilização do Mali (MINUSMA) que conta com dois militares e a 'United Nations Verification Mission' na Colômbia, também com dois militares.

No que toca a acordos bilaterais e multilaterais, num total de 11 missões, Portugal prevê empenhar este ano 254 militares, dois navios, 16 viaturas táticas e uma aeronave.

Atualmente, de acordo com a página oficial do EMGFA, Portugal participa em 16 missões ativas no estrangeiro, tem 426 militares empenhados, 51 meios envolvidos e está presente em 13 países.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG