Calor

Portugal regista aumento da seca meteorológica em junho

Portugal regista aumento da seca meteorológica em junho

Portugal continental registou no final de junho um aumento da situação de seca meteorológica em relação a maio.

De acordo com índice meteorológico de seca (PDSI) disponível no site do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), no final de junho, 53% de Portugal continental estava em seca fraca (em maio 17,5%), 38,5% em normal, 8,1% em seca moderada, 0,2% em chuva fraca e 0,2% em seca severa.

As regiões do interior norte e centro e a região de Lisboa e Vale do Tejo estão na classe de seca fraca e a região sul encontra-se nas classes de seca fraca e seca moderada.

O Baixo Alentejo (distritos de Setúbal e Beja) estava em seca moderada.

No final de maio, 75,2% de Portugal continental estava em situação de seca normal, 17,5% em seca fraca, 4,7% em seca moderada e 2,6% em chuva fraca.

Segundo o IPMA, no final do mês de junho verificou-se, em relação ao mês anterior uma diminuição significativa dos valores de percentagem de água no solo em todo o território.

Na região Nordeste, nalguns locais do vale do Tejo, no Baixo Alentejo e em algumas zonas do Algarve verificam-se valores inferiores a 20%.

O instituto classifica em nove classes o índice meteorológico de seca, que varia entre "chuva extrema" e "seca extrema".

De acordo com o IPMA, existem quatro tipos de seca: meteorológica, agrícola, hidrológica e socioeconómica.

A seca meteorológica está diretamente ligada ao défice de precipitação, quando ocorre precipitação abaixo do que é normal.

Além do índice de seca, o resumo do Boletim Climatológico do IPMA, indica que o mês de junho foi classificado como normal em relação à temperatura do ar e muito seco em relação à precipitação.

O valor médio da temperatura mínima do ar (12,88 graus) foi inferior ao valor normal, sendo o 3.º valor mais baixo desde 2000 (mais baixos em 2019 e 2013). O valor médio da temperatura máxima do ar (25,94 graus) foi superior ao valor normal.

Segundo o IPMA, até dia 19 de junho os valores de temperatura do ar foram quase sempre inferiores ao valor médio mensal e a partir do dia 20 verificou-se uma subida da temperatura do ar, em particular da máxima, sendo de destacar os dias 22, 23, 29 e 30 com um valor médio superior a 30 graus.

O menor valor da temperatura mínima no continente foi registado no dia 19 em Carrazeda de Ansiães (3,1 graus), distrito de Bragança, e o maior valor da máxima (29,6 graus) em Alvalade (Setúbal) e Portel (Évora) em 22 de junho.

Os valores de precipitação foram muito inferiores ao valor normal em quase todo o território, exceto no Algarve e em particular na região de Faro onde foram superiores.