Pandemia

Menos 310 internados em dia com mais 63 mortes por covid-19

Menos 310 internados em dia com mais 63 mortes por covid-19

Portugal reportou, esta terça-feira, 63 mortes por covid-19 e 1032 casos associados à doença provocada pelo vírus da SARS-CoV-2.

No total, foram registados 799106 casos de covid-19 desde o início da pandemia, a 2 de março, que causaram 16086 vítimas mortais.

O Boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS), desta terça-feira, reporta, ainda, uma redução do número de internados para 3012, com 310 pessoas a deixarem o hospital nas últimas 24 horas. Baixa substancial, também, entre os doentes mais graves, com 30 pessoas a saírem das Unidades de Cuidados Intensivos (UCI), cujo total desceu para 597.

Após dois dias de aumento dos internamentos, 32 no domingo e seis na segunda-feira, o total de pessoas hospitalizadas voltou a descer. E de forma acentuada, para 3012, menos de metade dos 6869 hospitalizados no dia 1. Ao todo, desde o início do mês, 3682 pessoas deixaram os hospitais e 261 saíram dos cuidados intensivos.

O dia fica marcado, ainda, pela morte de um homem com menos de 30 anos. É 12.ª vítima mortal na faixa etária dos 20-29 anos desde o início da pandemia, sete do género masculino e cinco do feminino.

Do total de 63 mortes, mais dois que na segunda-feira, regista-se, ainda, a morte de um homem na faixa etária dos 40-49 anos, escalão que perdeu 146 vidas desde o início da pandemia, 87 masculinos e 59 femininos.

PUB

Mais de metade das mortes, 39 (22 homens e 17 mulheres), das últimas 24 horas foram registadas no escalão etário acima dos 80 anos, escalão que perdeu 10683 pessoas desde o registo do primeiro óbito associado à covid-19, a 16 de março.

Na faixa imediatamente anterior, dos 70-79 anos, morreram 17 pessoas, oito homens e nove mulheres, elevando o acumulado para 3368 desde o início da pandemia, enquanto no escalão imediatamente anterior foram reportados cinco óbitos (três masculinos e dois femininos) - total é de 1412.

Caos subiram quase para o dobro de ontem para hoje

À tradicional acalmia das segundas-feiras, por força da menor realização de testes ao fim de semana, segue-se a natural subida do número de casos na terça-feira. No caso, de cerca de 48%, de 549 ontem, para 1032 hoje.

Números que, ainda assim, representam uma quebra de 470 casos relativamente aos 1502 da terça-feira da semana passada. Comparando com a terça-feira anterior, dia 9, quando foram registados 2853 casos, a quebra é ainda maior.

Também como vem sendo hábito desde dezembro, a Região de Lisboa e Vale do Tejo é a mais afetada pela pandemia, embora, esta terça-feira, se fique por 48% do total de casos. Com 493 das 1032 novas infeções, a zona da capital portuguesa acumula 302013 testes positivos à covid-19 desde o início da pandemia, de que resultaram 6699 mortes, 36 das quais (57% do total diário) nas últimas 24 horas.

A Região Norte somou o quarto dia seguido a registar descidas no total de óbitos, que ficou abaixo da dezena pela segunda vez consecutiva. Os nove óbitos reportados esta terça-feira elevam as contas às fatalidades para 5168, de um total de 324905 infeções, 186 nas últimas 24 horas.

A Região Centro reportou menos de 20 mortos pelo sétimo dia consecutivo, numa altura em que totaliza 2870 óbitos associados à covid (11 nas últimas 24 horas) e 114245 infeções, 146 nas últimas 24 horas.

A sul da Lisboa, o Alentejo reportou cinco óbitos (929 no total) e 50 casos (28224 desde 2 de março), enquanto o Algarve registou duas mortes e 61 casos positivos, para acumulados de 332 e 19893, respetivamente.

Nos Açores, apenas mais três casos (3725), naquele que foi o 13.º dia sem óbitos (28 até agora). Na Madeira foram reportados 93 casos, elevando o total para 6101, sem registo de mortes (60 desde o início da pandemia).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG