Sustentabilidade

Portugueses acreditam que alterações climáticas encarecem preço dos alimentos

Portugueses acreditam que alterações climáticas encarecem preço dos alimentos

Em 2022, 73% dos portugueses associaram o aumento do preço dos alimentos às alterações climáticas. De forma global, 75% dizem ter-se sentido pessoalmente afetados por este fenómeno. Além do preço da alimentação, identificam como principais efeitos o calor extremo (75%) e a seca (49%).


Os resultados são do inquérito "Healthy & Sustainable Living 2022" - baseados na opinião de consumidores de 31 países nos diferentes continentes, de várias faixas etárias -, desenvolvido pela consultora portuguesa em sustentabilidade Greenlab e a multinacional GlobeScan, que será hoje apresentado. Em Portugal, foram inquiridos mil cidadãos.

Em comparação com a média global, os portugueses sentem-se mais afetados pelos impactos mais comuns das alterações climáticas, como a seca ou o calor, indica o relatório. Esta perceção subiu 2% quando comparada com os resultados do inquérito de 2021. Foram as situações moderadas as que mais aumentaram no ano passado.

PUB

É a 3.ª maior preocupação

Cerca de 82% dos portugueses assinalaram as alterações climáticas e o esgotamento dos recursos naturais como um problema "muito preocupante", a seguir à guerra (87%) e à pobreza extrema (85%).

No seu dia a dia, os portugueses dizem utilizar um saco de compras próprio para evitar os de plástico (86%), reciclar e poupar energia em aquecimento e ar condicionado (76%). Os dados mostram que 80% dos portugueses reconhece que é necessário consumir menos para preservar o ambiente, e não comprometer as gerações futuras, e 76% está disposto a reduzir os seus consumos para metade. Apesar de Portugal apresentar um nível de consciência ambiental elevado, persiste um fosso "alargado" entre o desejo de mudar e a ação. Quase 50% dos portugueses considera que, individualmente, não consegue fazer a diferença.

A crise associada ao aumento do custo de vida é um dos principais desafios à adoção de estilos de vida sustentáveis. Os inquiridos afirmam que os produtos "amigos do ambiente" aumentaram de preço nos últimos 12 meses, sendo que já os consideravam mais caros do que os da indústria regular. Ainda assim, quase metade afirmou ter comprado um produto "amigo do ambiente" no mês passado à data do inquérito, apontando a comida fresca, os produtos de limpeza e de cuidado pessoal.

Próxima década

Os portugueses acreditam que as energias renováveis e os carros elétricos serão as mudanças mais prováveis de acontecer nos próximos dez anos.

Outras preocupações

Entre outras questões ambientais, os portugueses consideram muito preocupante a poluição das águas, a escassez de água potável, a perda de biodiversidade e a poluição do ar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG