Exclusivo

Portugueses recorrem cada vez mais às entregas ao domicílio

Portugueses recorrem cada vez mais às entregas ao domicílio

Estima-se que o valor do negócio de entregas ao domicílio possa representar, pelo menos, 144 milhões de euros em Portugal. A grande distribuição domina, mas há plataformas a atuar no mesmo segmento.

Os portugueses são cada vez mais adeptos do "e-commerce" e das entregas ao domicílio. E não estamos a falar apenas de eletrónica, livros ou música, mas também das compras do supermercado. Além do Continente, do Auchan ou do El Corte Inglés, que entregam em casa, há plataformas como o Mercadão que faz as compras no Pingo Doce e as leva a casa em duas horas. Quanto vale no total este segmento de negócio é um número difícil de apurar. A Kantar fala em 5,1% a nível mundial e em 1,6% em Portugal, ou seja, um valor aproximado dos 144 milhões de euros. A Sonae MC diz que cresce a dois dígitos e "cada vez com maior aceleração".

A investir nas vendas online "há praticamente duas décadas", a Sonae MC, proprietária do Continente, assegura que o e-commerce alimentar "tem uma representatividade crescente no negócio e um potencial de crescimento muito significativo". Pedro Santos, diretor de e-commerce, não avança com números de vendas, sublinhando, apenas, que "as categorias mais procuradas são as alimentares, embora o maior crescimento seja nos frescos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG