Recolha

Portugueses respondem de forma massiva ao apelo para doar sangue

Portugueses respondem de forma massiva ao apelo para doar sangue

Em apenas dois dias e nos principais postos do Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST), triplicaram os dadores inscritos e as unidades colhidas.

Nos postos fixos dos Centros do Sangue do IPST em Lisboa, Porto e Coimbra, na terça e esta quarta-feira até às 18 horas, o número de dadores inscritos (1590) mais do que triplicou face a segunda-feira (344). As 289 unidades de sangue colhidas na segunda-feira subiram para 513 na terça-feira e, hoje, para 766. A maioria das colheitas (733 ou 57%) foram realizadas nos postos fixos do IPST, ou seja, não foram as unidades móveis que se deslocaram até aos dadores para cativar a dádiva.

"A adesão dos portugueses ao nosso apelo foi extraordinária!", resumiu fonte do Conselho Diretivo do IPST, fazendo o balanço do resultado do apelo feito esta terça-feira na comunicação social.

Os postos fixos do IPST em Lisboa, Porto e Coimbra funcionam de segunda a sábado, das 8 às 19.30 horas, sem encerrar na hora de almoço.

Desde o início do ano e até domingo passado, as dádivas de sangue estavam a cair até 60,7%, nalguns dias, face ao mesmo dia do ano passado, quando ainda não havia pandemia no país. O ano de 2020 acabou por encerrar com menos 5,6% de dádivas face a 2019.

Assim, apesar do êxito do apelo, os hospitais precisam de mais sangue. As reservas de sangue do tipo A+, o mais comum, continuam extremamente baixas, para menos de quatro dias.

PUB

Segundo contabilizou a Federação Portuguesa de Dadores Benévolos de Sangue (FEPODABES), "são necessárias cerca de mil unidades de sangue todos os dias". A federação também apelou a que "todos os dadores saudáveis, nomeadamente os mais jovens" se dirijam aos postos mais próximos, recordando que "a dádiva de sangue está prevista nas exceções ao confinamento".

Além disso, garantiu Alberto Mota, presidente da direção da FEPODABES, "em todas as recolhas de sangue estão a ser rigorosamente adotadas as regras que garantem a segurança dos dadores".

À chegada, todos os candidatos a dadores passam pela medição de temperatura e desinfeção de mãos, procedem ao registo e preenchem um inquérito de saúde. Após consulta de validação dos dados, se não houver impedimentos, passa à sala de colheitas, onde estão asseguradas as condições de higiene e distanciamento social necessárias devido à covid-19. Em poucos minutos, a colheita termina e o dador é convidado a tomar um lanche e café ou outra bebida, dando tempo ao dador para repor energia e prosseguir com o seu dia.

Segundo a FEPODABES, "uma única unidade de sangue pode servir para ajudar até três vidas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG