O Jogo ao Vivo

Europeias

PPM rejeita apoiar André Ventura

PPM rejeita apoiar André Ventura

O Partido Popular Monárquico (PPM) recusa acolher nas suas listas às europeias de 26 de maio o ex-vereador do PSD André Ventura e rejeitou, esta quarta-feira, uma coligação com algum movimento ou partido que o acolha.

A decisão foi revelada ao JN pelo presidente do Conselho Nacional do PPM, João Travassos, no final de uma reunião daquele órgão, onde a inclusão de Ventura nas listas terá sido rejeitada por 89% dos votos.

Ainda sem luz verde do Tribunal Constitucional (TC), André Ventura anunciou esta quarta-feira que iria concorrer como cabeça de lista às europeias numa coligação que integra, além do movimento Chega - que aguarda validação pelo Tribunal Constitucional - o Partido Popular Monárquico (PPM), o Partido Cidadania e Democracia Cristã (PPV/CDC) e o movimento Democracia 21. Mas ao fim o dia foi desmentido.

Recorde-se que o Tribunal Constitucional rejeitou o reconhecimento do Chega como partido devido a terem sido identificadas assinaturas de menores e de agentes de segurança na documentação entregue.

"André Ventura não integrará as listas do PPM", disse ao JN João Travassos, admitindo que poderá ter havido conversas com dirigentes do PPM no sentido de o acolher nas listas, mas que só esta quarta-feira a questão foi levada a votos no Conselho Nacional e foi chumbada.

"Falou antes de tempo, naturalmente", disse Travassos, garantindo que o Conselho Nacional entende que Ventura "não perfila dos mesmos valores e ideias de humanismo e tolerância inerentes ao ideal monárquico do PPM". O JN tentou, sem efeito, ouvir o presidente do partido Gonçalo da Câmara Pereira.