O Jogo ao Vivo

Crise

Prepare-se: vêm aí aumentos nos preços dos combustíveis

Prepare-se: vêm aí aumentos nos preços dos combustíveis

A decisão da Organização dos Países Produtores de Petróleo (OPEP) de reduzir em dois milhões a produção de barris de petróleo por dia leva os mercados a antecipar um grande aumento dos preços dos combustíveis na próxima semana. A decisão de quarta-feira passada fez com que as cotações internacionais do gasóleo e da gasolina disparassem, o que faz antever um significativo aumento dos preços nos postos de combustível a partir da próxima segunda-feira. Este aumento acontece no mesmo mês em que o desconto no Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP) desce 0,1 cêntimos para o litro de gasóleo e 4,4 cêntimos para o litro de gasolina.

É esperado um grande aumento dos preços dos combustíveis a partir da próxima segunda-feira, dia 10. Na origem está a decisão da Organização dos Países Produtores de Petróleo (OPEP), que na passada quarta-feira, dia 5, decidiu cortar a partir de dezembro a produção de petróleo em dois milhões de barris por dia. De acordo com António Comprido, secretário-geral da Apetro, a decisão surge depois de uma quebra na procura dos combustíveis, numa tentativa de ajustar a produção mundial de petróleo e reequilibrar a oferta e a procura.

A reação dos mercados a esta tomada de posição da OPEP não se fez esperar. A cotação do gasóleo - que na semana passada tinha terminado nos 1015 dólares por tonelada - disparou na passada quarta-feira (ou seja, no mesmo dia da decisão da OPEP) para os 1199 dólares por tonelada. Na mesma linha, a gasolina - que tinha fechado a semana passada com uma cotação de 934 dólares por tonelada - bateu a marca dos 1033 dólares por tonelada.

PUB

Apesar das previsões, António Comprido sublinha que "é apenas uma antecipação" e que cada operador é livre de estabelecer os valores que decidir. "Isto é uma antecipação dos mercados à escassez e aos preços das cotações internacionais em alta", afirmou sem antecipar quais os aumentos de preços previstos.

Este aumento acontece no mesmo mês em que o desconto no Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP) diminui em 0,1 cêntimos por litro de gasóleo e 4,4 cêntimos por litro de gasolina. O Ministério das Finanças justificou a descida com a "evolução recente da descida do preço do gasóleo e da gasolina". A regra aplicada no mecanismo do Governo para os descontos implica que com a descida no preço dos combustíveis, o ISP aumente para fazer face à queda de receita proveniente do IVA.

O preço médio dos combustíveis em Portugal tem-se pautado por uma descida constante há já algum tempo, de acordo com os dados divulgados pela Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG).

No caso da gasolina, a descida do preço remonta a 7 de setembro, enquanto o gasóleo manteve-se estável nos 1,82 euros por litro até baixar abruptamente para 1,76 euros por litro no dia 19 de setembro. Desde então tem mantido uma tendência decrescente, segundo os dados da DGEG, estando atualmente nos 1,75 euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG