Mobilidade

Primeira manhã do confinamento longe dos valores de março

Primeira manhã do confinamento longe dos valores de março

O nível de confinamento na primeira manhã em que entrou em vigor um novo estado de emergência no país registou uma quebra de cerca de 30% em relação aos registados em março e abril. Desta vez, segundo a consultora PSE, especializada em ciência de dados, o número de deslocações dos portugueses foi muito maior.

"A nossa estimativa, baseada nos dados de que dispomos até às 13 horas, é que o confinamento esteja à volta dos 40% por cento, sendo que esta quinta-feira foi de 31%. O que não compara em nada com os 67, 68, 60 ou mesmo 70% que chegámos a ter em abril. Há apenas um aumento ligeiro do confinamento, mas não é de maneira nenhuma semelhante", adianta, ao JN, Nuno Santos.

O especialista de dados da PSE alerta, no entanto, que esta sexta-feira pode terminar com valores ainda mais baixos. "Tudo depende do comportamento dos portugueses durante a tarde, período do dia em que, por norma, há mais deslocações. Mas uma certeza já temos: o nível de confinamento deste dia ficará longe do que foi o de março e abril", refere, acrescentando que os próximos dias úteis serão fundamentais para avaliar o impacto das medidas deste novo estado de emergência em que o país viverá, pelo menos, até 30 de janeiro.

A PSE estuda a mobilidade dos portugueses desde 2019, recolhendo os dados através da monitorização de uma aplicação móvel instalada nos smartphones de 3670 indivíduos representativos do universo com mais de 15 anos, residentes no Grande Porto, Grande Lisboa, Litoral Norte, Litoral Centro e Distrito de Faro. A margem de erro imputável ao estudo é de 1.62% para um intervalo de confiança de 95%.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG