Nacional

Professora do ensino secundário eleita presidente da Raríssimas 

Professora do ensino secundário eleita presidente da Raríssimas 

Maria Júlia Cardoso é a nova presidente da Raríssimas. A professora do ensino secundário em Lisboa que teve um filho na instituição foi eleita sem concorrentes esta segunda feira. A lista da nova presidente foi apresentada na mesa da Assembleia Geral e eleita com 20 votos a favor e 19 nulos, apurou o JN. Até esta segunda feira, não existiam listas conhecidas e estava em cima da mesa a extinção da Raríssimas.

A nova presidente vai terminar o mandato de Maria João Trincão, eleita em dezembro de 2019 por quatro anos, mas que renunciou ao cargo pouco depois. Maria Júlia Cardoso concorreu nessa altura ao cargo, mas perdeu por 15 votos.

Após a renúncia de Maria João Trincão, Tatiana Louro, médica e diretora clínica na Casa dos Marcos assumiu a presidência. Tatiana Louro demitiu-se com os restantes órgãos sociais no final de 2020.

Maria Júlia Cardoso é a quarta presidente da Raríssimas desde o afastamento de Paula Brito e Costa no final de 2017 quando vieram a público denúncias de gestão danosa. Passaram pelo cargo Margarida Laygue, mãe de um utente que liderou a Raríssimas logo após a saída de Paula Brito e Costa e durante dois anos, Maria João Trincão, secretária na Reitoria da Universidade Católica Portuguesa e Tatiana Louro.

Paula Brito e Costa foi constituída arguida pelos crimes de peculato, recebimento indevido de vantagens e falsificação de documentos, mas volvidos mais de quatro anos, não é conhecida acusação nem despacho de arquivamento proferidos pelo Ministério Público de Lisboa, que prossegue a investigação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG