Premium

Professora não aguenta 90 minutos em pé. Está a dar aulas

Professora não aguenta 90 minutos em pé. Está a dar aulas

Professora com doença incapacitante e progressiva foi mandada regressar à escola.

"Mandaram-me trabalhar com condições moderadas, mas isso não existe na escola". Maria, nome fictício, é uma dos professores em situação de doença que foram obrigados a voltar ao trabalho, uma situação denunciada na semana passada pela Fenprof e confirmada pelos diretores escolares. Estava de baixa médica desde setembro até que, em janeiro, a junta médica da ADSE a mandou regressar. Voltou ao serviço, embora não consiga estar 90 minutos de pé ou dobrar-se para ajudar um aluno.

Aos 56 anos, a professora do 2.o ciclo já conta 34 de serviço. "Não sou nenhuma coitadinha, já trabalhei muito, mas agora não posso". Está com um horário de três blocos diários de 90 minutos, em turmas que chegam a ter 30 alunos. "Não consigo estar 90 minutos de pé, não consigo dobrar-me para ajudar um aluno e voltar a erguer-me, ninguém imagina. E o barulho: não posso obrigar os miúdos a estarem em silêncio, nem são capazes disso".