Protesto

Professores confirmam greve em dia de exames nacionais

Professores confirmam greve em dia de exames nacionais

As duas maiores federações sindicais de professores (Fenprof e FNE) confirmaram, esta terça-feira, greve para 21 de junho - dia de provas e aferição no 2.º ano e do exame de Física e Química do 11.º ano. A Fenprof desconvocou a greve às avaliações no ensino artístico, que começava esta quarta-feira e se prolongava até dia 16.

"Está na mão do ministério evitar esta greve. Até à véspera é tempo útil", afirmou Mário Nogueira, referindo-se à suspensão da paralisação nas escolas artísticas. A greve tinha sido convocado por o ministério ter excluído estes professores do processo de vinculação extraordinária.

O ministro deu esta terça-feira garantias de que a todos os docentes com contrato anuais e completos nas escolas artísticas e conservatórios seria renovado o contrato por despacho e que, no próximo ano, serão abrangidos por um processo de vinculação extraordinária.

Esta terça-feira, a Federação Nacional de Professores (Fenprof) e a Federação Nacional da Educação (FNE) reuniram com o ministro Tiago Brandão Rodrigues mas não saíram satisfeitas do encontro, considerando que ficou "aquém das expectativas".

Em causa estão questões como o descongelamento das carreiras em janeiro de 2018, novos processos de vinculação extraordinária em 2018 e 2019 e a aprovação de um regime especial de aposentação.

Também esta terça-feira, "seis sindicatos independentes" (ASPL, PRÓ-ORDEM, SEPLEU, SIPE, SIPPEB e SPLIU) anunciaram uma greve para o dia 14, exigindo nomeadamente o descongelamento de carreiras e um regime especial de aposentação.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG