Covid-19

Profissionais de saúde do privado no Algarve ainda não foram vacinados

Profissionais de saúde do privado no Algarve ainda não foram vacinados

Os profissionais de saúde do setor privado no Algarve ainda não foram vacinados contra a covid-19. A denúncia é da Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP) que fala em "discriminação".

A Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve recusa as acusações. Garante que já foram vacinados os que acumulam funções com o setor público e que os restantes não se incluem nas prioridades definidas pelo Governo.

A APHP lamenta a "exclusão" dos profissionais que representa e que haja "uma espécie de médicos de primeira e médicos de segunda". Segundo o presidente da associação, Óscar Gaspar, a vacinação no setor privado já avançou em várias zonas do país, embora com "um atraso muito significativo", uma vez que "até à última sexta-feira, mais de 60 por cento não tinha recebido sequer a primeira inoculação".

O Algarve, garante, foi a exceção. "É o caso mais gritante. Nenhum dos cerca de 500 profissionais foi ainda vacinado nem há uma data prevista", acusa.

"Achamos obviamente que é uma discriminação dos colegas do Algarve em cima da discriminação a nível nacional. Não conseguimos perceber por que razão há aqui uma espécie de médicos de primeira e médicos de segunda", lamenta, recordando que os do Serviço Nacional de Saúde (SNS) já começaram a ser vacinados.

Óscar Gaspar diz, ainda, não entender por que razão não chegam as vacinas ao Algarve, ainda que seja uma região com pouca incidência de covid-19 e com uma pressão menor nos hospitais e nos cuidados intensivos.

"Os hospitais privados têm a porta aberta. Quando recebem uma urgência não sabem se a pessoa está ou não infetada, mas têm de atendê-la, mesmo sentindo que não estão devidamente protegidos", avança. Uma situação que, acredita, "é de saúde pública", uma vez que "estão em causa também os doentes".

PUB

O presidente da ARS do Algarve, disse, ao JN, que "não corresponde à verdade que não haja um único profissional do setor privado vacinado" e que "já foram vacinados os que acumulam funções com o setor público". Os que exercem em exclusividade no privado ainda não foram porque, garante, "o Algarve não tem nenhum hospital privado que se inclua nas prioridades definidas a nível nacional".

Paulo Morgado rejeita que haja discriminação. Explica que foram estabelecidas prioridades para os profissionais que trabalham em hospitais do setor privado ou social com acordo com o SNS para tratar doentes com covid-19 e com protocolos com as ARS para tratar doentes não covid.

No Algarve, assegura, "não temos nenhum hospital privado que se inclua nestas prioridades, uma vez que as situações têm sido tratadas exclusivamente pelo SNS", razão pela qual "estes profissionais não foram vacinados". Adianta que está a ser feita a identificação destes profissionais para que venham a ser vacinados "quando houver vacinas disponíveis, sempre respeitando as prioridades definidas pelo Governo".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG