Porto

Profissionais doentes no São João obrigam a limitar ecografias a grávidas

Profissionais doentes no São João obrigam a limitar ecografias a grávidas

O Hospital de São João, no Porto, deixará de fazer ecografias do 2.º trimestre a pacientes não seguidas na unidade, devido a "doença de alguns profissionais". A situação será "temporária", diz fonte do hospital. A unidade hospitalar espera "em breve" retomar a normalidade na realização de ecografias a grávidas.

"Devido a doença de alguns profissionais, de forma temporária, e articulado com os cuidados de saúde primários, existirá alguma limitação à realização de ecografias do 2.º trimestre às grávidas seguidas e referenciadas pelos centros de saúde, mantendo-se o rastreio ecográfico e bioquímico do 1.º trimestre, o mais relevante, tal como acontece na generalidade das instituições hospitalares do país", explica o Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ), em resposta enviada ao JN.

Fonte da unidade não perspetiva quando a situação estará resolvida, mas aponta que será "em breve".

PUB

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) adiantou, esta quinta-feira, que a suspensão da realização de ecografias foi comunicada pelo conselho de administração do CHUSJ à Administração Regional de Saúde do Norte e justificada com a redução significativa do número de médicos do Centro de Diagnóstico Pré-Natal do hospital.

O sindicato aponta que "informação interna" do hospital regista "uma diminuição de profissionais por diversos motivos, incluindo rescisão de contrato, acrescentando ainda que os médicos que saíram por reforma ou rescisão não foram substituídos e a contratação de novos elementos tem sido um processo demorado e desmotivante".

De recordar que Fernando Araújo, presidente do Conselho de Administração do CHUSJ, descreve num artigo de opinião, a 24 de maio, que se tem "assistido recentemente a uma vaga sem precedentes de pedidos de redução de horário e de desvinculação".

"Em face destes factos houve uma diminuição de sete turnos semanais para ecografias, o que equivale a cerca 50 ecografias por semana, pelo que não podemos assegurar o mesmo número de exames que anteriormente", aponta o SIM, citando a informação interna do Hospital de São João.

O CHUSJ, por seu lado, aponta as limitações na realização de ecografias a grávidas a "doença de alguns profissionais". "Todos os casos referenciados com patologia ou com dúvidas clínicas, bem como grávidas seguidas no hospital, terão sempre acesso direto à ecografia do 2.º trimestre, mantendo-se neste sentido a disponibilidade para as situações exigentes e diferenciadas, de acordo com o centro de referenciação do CHUSJ", apontam em resposta ao JN.

"Prevê-se que a curto prazo, em função do início de produção adicional efetuada pelos profissionais e pela recuperação de doença de outros, voltemos a realizar as ecografias do 2.º trimestre a todas as grávidas referenciadas, para além das do 1.º trimestre, o que é algo singular no país", conclui o centro hospitalar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG