Primeiro-ministro

Proposta final sobre recuperação económica apresentada hoje

Proposta final sobre recuperação económica apresentada hoje

António Costa considerou que a visão estratégica que será apresentada esta terça-feira de manhã para a recuperação económica de Portugal representa uma "oportunidade que o país não pode desperdiçar".

"Hoje mesmo, daqui a algumas horas, será apresentada para debate público a proposta de visão estratégica que o Governo convidou o professor Costa Silva a elaborar e que será apresentada na sua versão final ao país, para que durante o próximo mês possa ser objeto de discussão", disse o primeiro-ministro, em Bruxelas, após uma maratona negocial, da qual saiu um acordo europeu para relançamento pós-crise da covid-19.

Num apelo à participação pública nesta consulta, o chefe de Governo convidou "todos os portugueses, as diferentes instituições e os diferentes agentes económicos, as regiões autónomas, as autarquias, os cidadãos em geral, a envolverem-se para este debate que temos de fazer para termos uma visão estratégica comum".

Desde logo porque, a seu ver, em causa está "uma oportunidade que o país não pode desperdiçar". "[É uma visão] que será executada ao longo de 10 anos, o que significa mais de duas legislaturas, por governos diferentes - quem sabe até de orientações políticas distintas - e, portanto, é essencial que possa ser ancorada numa visão comum que assegure a continuidade dos projetos que hoje são pensados, lançados e amanhã executados", argumentou António Costa. E concluiu: "É fundamental que esta visão seja partilhada por todos".

PUB

Esta terça-feira de madrugada, o Conselho Europeu aprovou um acordo para retoma da economia comunitária pós-crise da covid-19, num pacote total de 1,82 milhões de milhões de euros. Ao todo, Portugal vai arrecadar 45 mil milhões de euros em transferência a fundo perdido nos próximos sete anos, montante no qual se incluem 15,3 mil milhões de euros em subvenções do âmbito do Fundo de Recuperação e 29,8 mil milhões de euros em subsídios do orçamento da UE a longo prazo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG